As chuvas que atingem a região Leste de Minas provocaram quedas de barreiras e inundações nas estradas, cheias de rios e deslizamentos de terrenos. Duas pontes na BR-259, entre Galileia e Conselheiro Pena, foram interditadas após cederem parcialmente.

Em Conselheiro Pena, choveu 300 milímetros em apenas dois dias, o equivalente a 30% do previsto para todo o ano. O rio João Pinto subiu seis metros acima do nível normal. Dentro da cidade, as águas atingiram dois metros de altura no centro e nos bairros Queiroz e São Luiz.

Nesta quinta-feira (19), o prefeito de Conselheiro Pena, Roberto Balbino decretou situação de emergência no município. Cerca de 150 casas e 200 lojas foram tomadas pelas cheias.

Durante o dia, comerciantes e moradores limpavam o que sobrou. “Parece um cenário de guerra. Ninguém dormiu. Cheia como essa aconteceu em 1979. De lá pra cá tivemos outras, mas nenhuma que se compare com o que aconteceu ontem (quarta-feira)”, disse o consultor ambiental Helter Salgueiro, de 39 anos.
 

Chuva no Leste de Minas deixa rastro de destruição e isola cidades

Na cidade, cerca de 500 pessoas estão desabrigadas ou desalojadas. Elas estão nas casas de parentes, escolas e no ginásio poliesportivo. Conselheiro Pena tem cerca de 16 mil habitantes.

Dos cinco distritos próximos, três estão ilhados e incomunicáveis. No de Rochedo, cinco pessoas de uma família de lavradores, entre elas duas crianças, ficaram feridas após um deslizamento de barranco atingir um imóvel na tarde e quarta-feira. Dois filhos do casal, de 4 e 6 anos, quebraram braços e pernas. Não houve mortes.

Em Galileia, vizinha de Conselheiro Pena, o rio Laranjeiras ficou represado pelo rio Doce e subiu cinco metros acima do nível normal. Duas pontes dentro da cidade foram afetadas. Parte da estrutura sobre o rio Urucum cedeu e nenhum morador pode fazer a travessia no local. Não há previsão de conserto da edificação.

Trem da Vale interrompido

As viagens dos trens de passageiros da Vale continuarão suspensas nesta sexta-feira (20). A circulação das composições foi interrompida no fim da tarde de quarta-feira, quando os trilhos na altura de Conselheiro Pena foram atingidos por um deslizamento de terra. Pelo menos 400 passageiros seguiam em direção a Vitória.

Os passageiros foram alocados em hotéis de Governador Valadares. A expectativa é de que a empresa disponibilize pelo menos 14 ônibus para que eles possam seguir viagem ainda na noite desta quinta-feira.

Por meio da assessoria de imprensa, a Vale informou que as viagens dos trens só voltarão ao normal após o clima apresentar condições favoráveis. Quem estiver com bilhete comprado para sta sexta-feira poderá pedir o reembolso ou remarcar a passagem para até 30 dias.