Um advogado da cidade de Varginha, no Sul de Minas Gerais, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, nesta quinta-feira (13), após ser denunciado pelo Ministério Público de Minas por aplicar golpes em clientes de baixa renda e instrução.

De acordo com a denúncia, o homem agia em bairros populares da região propondo ações judiciais em nome dos moradores e se apropriando dos valores decorrentes das condenações, sem repassar nada aos clientes e, ainda, falsificando documentos para simular o pagamento aos autores das demandas judiciais.

A investigação fez parte de uma operação chamada Nome Sujo, que ainda revelou que o advogado estaria ameaçando as vítimas que descobriram a fraude e exigiram pagamento do valor recebido na Justiça. Um dos pontos ressaltados na sentença foi que o acusado praticava os crimes como 'meio de vida' e se valia do pouco nível de instrução e da baixa renda e simplicidade das vítimas.

A prisão do advogado, no momento, é em caráter preventivo. Caso seja julgado e condenado, a sentença do advogado pode passar de quatro anos de prisão, já que ele deve responder por 16 crimes de "apropriação inédita majorada e uma falsidade ideológica."

Leia mais:
Advogado que roubava dinheiro de indenizações de clientes é preso no Sul de Minas