A Anistia Internacional se pronunciou sobre a tragédia de Brumadinho e cobrou que os órgãos públicos estaduais e federais atuem prontamente para garantir "acesso imediato a moradia, água potável, alimentação, assistência de saúde e todos os meios de subsistência necessários" aos impactados. A organização não governamental atua na defesa dos direitos humanos. 

Além disso, o órgão pede as autoridads que investiguem imediatamente, de forma imparcial e detalhada, os possíveis motivos para o rompimento da barragem. A nota da entidade ainda lembra os prejuízos socioeconômicos causados pela quebra da contenção de Mariana, na região Central de Minas Gerais, ocorrido no fim de 2015.

"O rompimento da barragem em Mariana teve enorme impacto sobre os direitos humanos dos habitantes das cidades afetadas. As investigações sobre o episódio do rompimento da barragem em Brumadinho devem se debruçar sobre as responsabilidades das empresas envolvidas e instituições do estado. É grave que um episódio devastador como este se repita sem que o Estado tenha conseguido garantir a proteção da saúde, do meio ambiente e da vida das pessoas", informou a Anistia Internacional.