Desenvolvido pela Cemig, o aplicativo 'Proximidade' já informa a comunidade sobre variação dos níveis e vazões dos rios e reservatórios das Usinas Hidrelétricas (UHEs) e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) das áreas de concessão. 

Agora, a empresa anuncia parceria que vai expandir as aplicabilidades da ferramenta, que passa a se chamar PROX e vai abranger, também, as empresas de mineração, visando melhorias principalmente nos procedimentos de comunicação de risco. A nova proposta de aplicativo conta, também, com a parceria do Mining Hub. A proposta de expansão veio do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).
 

Cemig

O aplicativo PROX também tem um perfil específico para a Defesa Civil e mantém contato permanente com os coordenadores desses órgãos nos municípios

O gerente de planejamento Energético da Cemig, Ivan Sérgio Carneiro, avalia que o compartilhamento da ferramenta com outros setores produtivos será de grande importância para a melhoria do uso das informações de segurança e prevenção de ocorrências envolvendo cheias e barragens. 

“O aplicativo, que já é um importante canal de informação principalmente para as populações do entorno das usinas, que são influenciadas diretamente pela operação dos reservatórios, vai ganhar uma expansão. Dessa forma, se tornará essencial para os órgãos de segurança e sociedade em geral no tocante à gestão de risco”, afirma.

Com a mudança, continua o gerente, “agora outros públicos, ligados ao setor de mineração, poderão também usufruir das informações compartilhadas entre os setores e disponibilizadas no app”, completa Carneiro.

Parceria

Para o diretor-presidente do Ibram, Flávio Penido, a adesão do Instituto e das mineradoras associadas reforça a iniciativa, que passa a ser colaborativa e conjunta em prol da sociedade. Ele afirma que é uma questão de responsabilidade social do setor mineral oferecer às pessoas instrumentos ágeis e eficazes que possam promover a sensação de segurança. 

“Com as informações de várias organizações, como as mineradoras, entidades como Corpo de Bombeiros e Defesa Civil poderão mapear áreas de risco de forma mais aprofundada e abrangente. Além disso, o acesso a informações será mais confiável e rápido. O app também será mais um canal para a emissão de sinais de alerta”, diz o dirigente.

Novas funcionalidades, desenvolvidas a partir da parceria entre Cemig e Ibram, serão disponibilizadas ao longo dos próximos meses, e vão agregar, entre outras novidades, informações e consultas sobre segurança no entorno das áreas de atuação das mineradoras, gestão de simulados, informações meteorológicas e um sistema integrado de alarmes.

O download pode ser feito gratuitamente nas lojas Google Play (sistema Android) e Apple App Store (dispositivos com o sistema iOS).

O app 

O aplicativo PROX também tem um perfil específico para a Defesa Civil e mantém contato permanente com os coordenadores desses órgãos nos municípios.

Eles são avisados previamente, via “mensagens e alertas”, sobre todas as informações de status da operação do reservatório/barragem. Também por plataforma web, os órgãos de proteção e Defesa Civil têm acesso à visualização e impressão de mapas temáticos em diferentes escalas e tipos, tais como fotos de satélite, guias de ruas e mapas de terreno, que mostram a extensão das manchas de inundações para cenários de cheias e rupturas hipotéticas, além da possibilidade de envio de alertas prévios para celulares cadastrados nas áreas selecionadas. 

“O aplicativo permite uma comunicação mais efetiva com a comunidade por meio de cadastramento georreferenciado do aparelho móvel de cada cadastrado no app. Dessa forma, cada pessoa irá receber a informação precisa da sua região”, conclui Ivan Carneiro.

Leia mais:
Projeto quer aumentar empregabilidade dos mineiros em situação de pobreza
Escola de Saúde Pública de Minas prorroga inscrição para seleção da 40ª turma; confira edital