Os três Centros de Referência para População em Situação de Rua de Belo Horizonte passarão a atender pessoas também aos sábados e aos domingos a partir do dia 30 de março. As unidades, que já atuam durante os dias de semana, oferecem alimentação, atendimento socioassistencial, oficinas educativas, material e local para higienização pessoal, lavagem de roupas e espaço para guarda de pertences das pessoas que vivem nas ruas da capital mineira.

A mudança é parte da reordenação dos serviços de proteção social para a população em situação de rua da cidade. Dentro de 180 dias, o grupo de trabalho aberto pela prefeitura para reorganizar o atendimento a esse público deverá apresentar novos planos de ação para os centros de referência, para as unidades de acolhimento da população de rua e para os serviços de abordagem social. 

O projeto, da Secretaria Municipal de Políticas Sociais, tem o objetivo de aplicar as regras previstas por leis federais para o atendimento da população em situação de rua. Segundo a prefeitura, ele também irá diagnosticar a qualidade e a execução dos serviços que já são feitos na capital mineira destinados a esse grupo.

As reuniões do grupo de trabalho já começaram. Ele reúne membros da Secretaria Adjunta de Assistência Social (Smaas), do Conselho Municipal de Assistência Social, e também de entidades civis que lutam pela defesa dos direitos da população em situação rua.

Hoje, a prefeitura oferece 900 vagas nos sete abrigos da cidade. Além disso, outras 200 pessoas são acolhidas durante o dia pelos Centros de População de Situação de Rua.