Empresas têm até 18h desta sexta para enviar proposta a motoristas de ônibus da capital

Luiz Augusto Barros
@luizaugbarros
26/11/2021 às 08:04.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:20
 (Maurício Vieira/ Hoje em Dia)

(Maurício Vieira/ Hoje em Dia)

Novos rumos da paralisação dos motoristas de ônibus de Belo Horizonte devem ser definidos nesta sexta-feira (27). O Sindicato das Empresas de Transporte Público (Setra-BH) precisa entregar até as 18h uma proposta de reajuste salarial e manutenção de cláusulas econômicas aos empregados. Se não houver avanço na negociação, a categoria pode cruzar os braços, como no início da semana. Já os metroviários entraram em estado de greve por falta de diálogo sobre a privatização do metrô, o que pode acarretar em um segundo movimento grevista a atingir em cheio a população da capital no intervalo de um mês. 

Na segunda e terça-feira, os condutores dos coletivos não trabalharam, o que deixou muitos passageiros a pé e afetou serviços e o comércio. Após negociação, em audiência realizada pelo Terceiro Tribunal Regional do Trabalho (TRT-3), o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário suspendeu a greve até hoje, à espera da proposta do Setra.

A determinação da Justiça era de que ao menos 60% da frota estivesse em circulação em BH, mas em nenhum momento o percentual de veículos rodando chegou ao que foi definido. O não cumprimento da decisão geraria multa de R$ 50 mil por dia de desobediência, mas, segundo o TRT, nenhuma punição foi aplicada. Na manhã de quarta-feira, as estações funcionaram normalmente.

Conforme o STTR-BH, o sindicato dos empregados, após o recebimento - ou não - da proposta, haverá uma assembleia com os membros da categoria para avaliar os próximos passos da paralisação. O movimento pode ser encerrado ou retomado. No entanto, ainda não há definição de data da reunião.

Ampliação

Antecipando-se à definição, a BHTrans informou que irá ampliar os horários e o número de ônibus circulando neste fim de semana. O reforço pretende atender vendedores, trabalhadores e consumidores que irão às compras na Black Friday, além de estudantes que fazem o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no domingo.

De acordo com a autarquia, haverá um impacto principalmente no pico dos horários comerciais. No domingo, o quadro será o mesmo da última semana, quando houve aplicação da primeira prova. A medida, no entanto, depende da continuidade da suspensão da greve.

Metroviários

Em assembleia realizada nessa quinta-feira na Praça da Estação, no Centro de BH, os metroviários decidiram pelo estado de greve. De acordo com o presidente do Sindicato dos Metroviários de Minas Gerais, Romeu Machado, o Sindimetro não foi envolvido no processo de privatização do metrô da capital.

Assim, a categoria optou pelo movimento para alertar o governo, reivindicando a abertura de um canal de diálogo entre as partes. Caso contrário, uma paralisação pode ser estabelecida a qualquer momento. “A gente quer participar, saber, poder opinar, ter voz e poder discutir o futuro dos trabalhadores em relação a emprego e direitos”, afirmou.

Metroviários entraram em estado de greve por falta de diálogo sobre a privatização do metrô. Decisão sobre parar ou não deve sair  após 15 de dezembro

 Para Machado, o metrô da cidade não irá parar antes de 15 de dezembro, quando o sindicato terá uma reunião com representantes do governo federal. “A gente vai ter uma mediação no Ministério Público do Trabalho, em que representantes do governo ficaram de levar uma proposta mais concreta à inclusão do sindicato nas tratativas de qual será o destino dos trabalhadores caso o metrô aqui de BH seja privatizado”, disse.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por