Um estudante de Direito de 18 anos foi conduzido pela Polícia Militar, na manhã desta quinta-feira (14), em Manhuaçu, na Zona da Mata, após parabenizar em uma publicação no Facebook os responsáveis pelo massacre na escola Rui Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo. O ataque de dois ex-alunos da instituição nessa quarta-feira (13) deixou 10 mortos, incluindo os assassinos, e 11 feridos.

Na postagem, o estudante ainda afirmou que deveria ter feito o mesmo na escola estadual Ana Mendes Pereira Dutra, onde ele estudou. "Precisava ter um caminhão de munição pra todo mundo que eu odeio lá", escreveu. A publicação assustou pais e alunos da escola, que começaram a ligar para a Polícia Militar e denunciar o jovem.

Os militares, então, foram atrás do jovem e o encontraram pilotando uma moto sem habilitação nas proximidades de sua casa, no distrito de São Pedro do Avaí. Ele foi atuado pela infração de trânsito e os policiais, então, seguiram para a residência.

Segundo a PM, os pais do estudante ficaram bastante assustados com presença dos agentes e com a atitude do filho e deixaram que os pertences do jovem fossem revistados. No local, os militares não encontraram nada ilícito ou que indicasse que ele praticaria o mesmo crime de Suzano. Entretanto, no celular do jovem, a PM encontrou conversas em redes sociais com pessoas de várias partes do país nas quais a atitude dos assassinos de São Paulo eram elogiadas. O aparelho foi confiscado.

O rapaz foi levado à delegacia e prestou um longo depoimento, segundo a PM, no qual foi amplamente questionado sobre suas intenções. Os militares constataram, contudo, que se tratava somente de Apologia a Crime Cometido e que não havia indícios de planejamento ou intenção de replicar o ato. 

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi ouvido e liberado. Porém, o celular do jovem segue apreendido e será periciado. Foi lavrado um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO) e o rapaz deve ser ouvido novamente em uma audiência.

Leia mais:
Após ataque, prefeitura de Suzano suspende aulas e decreta luto oficial de 3 dias
Após tragédia, governo vai revisar segurança das escolas de São Paulo
Vítimas do massacre em escola são veladas coletivamente em Suzano