Entrou água na folia, mas não o suficiente para espantar das ruas a multidão animada que curte o Carnaval de Belo Horizonte. Contrariando previsões que vinham desde o fim de janeiro, indicando temporais durante a festa de Momo, o que se viu, ao menos até ontem, foram pancadas isoladas e moderadas, incapazes de mandar os foliões de volta para casa. Para hoje, dia de Monobloco e Juventude Bronzeada, a expectativa se repete: nada de tempestade. Água, pouca, só mesmo para lavar a alma. 

“É ótimo para refrescar do calorão e dar ânimo para seguir ao longo do dia. Nada será suficiente para diminuir a festa da cidade”, disse, ontem, a personal trainner Marina Prata, de 28 anos. Ao lado dos amigos, ela se esbaldou – e encharcou – na chuva atrás do bloco Havayanas Usadas.

Para a médica veterinária Nathália Indiana de Sousa, de 31, a folia de BH é “raiz”, nasceu das ruas e da vontade do povo de resgatar a maior festa popular do Brasil. “Então, faça chuva ou faça sol, o Carnaval vai continuar”, disse. 
O engenheiro elétrico Leon Oliveira foi outro que não deixou a alegria baixar quando as primeiras gotas caíram. “Tem ser um vendaval para desanimar os foliões daqui”.

De olho no céu

Se desta vez as previsões se confirmarem, a terça-feira de Carnaval terá pancadas de chuva isoladas. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o céu ficará parcialmente nublado, com chance de precipitações a qualquer hora do dia. Mas nada de chuvão. A temperatura máxima deve chegar a 29°C.

O grupo de universitárias Júlia Pereira Vargas, 21 anos; Ana Luíza Maia, 20; e Lorrana Rodrigues Freitas, 21, garante: a festa vai seguir, qualquer que seja a vontade de São Pedro. “Para isso existe capa de chuva”, diz Júlia.