A suspeita de uma bomba no sistema de gás em um restaurante na rodovia Fernão Dias, na cidade de São Sebastião da Bela Vista, no Sul de Minas, provocou a evacuação da área e mobilizou o Esquadrão Antibombas da Polícia Militar, nesse sábado (20). Os agentes do Batalhão de Operações Especiais da PM foram de avião até Varginha, na mesma região, mas constataram que o explosivo era falso.

Funcionários do estabelecimento relaram ao Hoje em Dia que um dos empregados viu, por volta das 15h30, um homem com um isqueiro perto dos cilindros de gás que abastecem a cozinha e gritou, o que fez o suspeito fugir. No entanto, viram que ele havia deixado um artefato semelhante a uma bomba colado a um cilindro. "Tinha dois celulares ligados por um cabo e um compartimento branco que parecia explosivo", detalhou uma funcionária.

Os trabalhadores chamaram a Polícia Militar, que isolou o local, evacuou o restaurante e acionou o Bope. A equipe do Esquadrão Antibombas foi até o local e chegou por volta de 23h30, mas, ao realizarem os procedimentos para desarmar o artefato, os agentes constataram que não se tratava de um explosivo.

O suspeito, segundo a PM, não foi encontrado pela autoridade policial, mas o pai dele contou que ele está passando por um surto psicológico e consumiu vários remédios e bebidas alcoólicas antes do ocorrido e foi internado, após o ocorrido, no Hospital das Clínicas Samuel Libânio, em Pouso Alegre.

Funcionários contaram que o suspeito é vizinho do restaurante e era visto com frequência indo até lá para comprar cigarros. A PM ainda contou que ele deixou uma carta no local ao lado da "bomba", mas não informou o conteúdo. No entanto, os funcionários do estabelecimento afirmaram que, na carta, o homem dizia que sua missão era destruir o restaurante.