O bispo Marco Aurélio de Freitas Melo, fundador e presidente da Igreja Internacional Plena Paz, é suspeito de desviar mais de R$ 2 milhões e construir um patrimônio de imóveis com ofertas de fiéis. Ele e mais quatro pastores da instituição foram presos pela Polícia Civil mineira, que investiga o líder religioso também por abuso sexual de pelo menos quatro mulheres e por induzir um aborto.

Melo, de 42 anos, e a esposa foram detidos em Brasília, no Distrito Federal, nesta terça-feira (28). Eles estavam na capital do país desde a segunda (27), quando deveriam ter se entregado à Justiça após negociação com a polícia.

Melo e a esposa são donos de um imóvel com 14 apartamentos em Águas Lindas de Goiás (GO), além de lotes na região que, segundo os investigadores, foram adquiridos com dinheiro dos fiéis da Plena Paz.

Segundo o delegado Gabriel Fonseca, da Delegacia de Fraudes de Belo Horizonte, são cerca de 10 templos da Congregação chefiada pelo bispo espalhadas por Minas Gerais. A investigação, iniciada em janeiro deste ano, começou após um pastor denunciar o bispo por estelionato. “O bispo ofereceu para esta vítima oportunidade para investimento no imóvel em Goiás, mas há cerca de dez anos, não houve nenhum retorno por parte do pastor”, afirmou o delegado.

Desde então, os investigadores começaram a ouvir pessoas que também tinham sido ludibriadas a investir no negócio, sem nunca ter retorno. “Foi aí que descobrimos os outros crimes. Ele usava dinheiro e doações dos fiéis para ter uma vida de alto padrão”, explicou Fonseca.

Estupros
Além das fraudes financeiras, a Polícia Civil descobriu que Melo pode ter estuprado quatro fiéis durante “sessões de cura”. As vítimas contaram que os abusos aconteciam quando elas estavam em uma espécie de transe. “As vítimas relataram que, enquanto dormiam, o estupro acontecia. Ao acordar, notavam que as regiões dos seios e da virilha estavam com óleo, indicando que algo havia acontecido de errado”, contou o delegado.

Os investigadores acreditam que outras vítimas, frequentadoras da Igreja Internacional Plena Paz, procurem a Delegacia de Fraudes para denunciar o Bispo. A unidade fica na avenida Francisco Sales, 780, no bairro Santa Efigênia, região Leste de BH. Informações podem ser dadas também pelo telefone 181.

Aborto
Outro crime que Melo é suspeito é de induzir um aborto. Uma frequentadora da Igreja, que havia tido um relacionamento com o bispo, foi quem denunciou o crime à polícia. “Após ela engravidar, o suspeito mandou ela tomar um abortivo e, como forma punitiva, obrigou-a a comer restos do feto é ainda a estrupou”, contou o delegado.

Patrimônio
Melo fundou a igreja em 2011 e, de lá para cá, a Congregação se estendeu em mais 10 templos em Minas Gerais. Na casa do suspeito, foram apreendidos cinco automóveis, sendo que quatro são comprovadamente doados por fiéis para a igreja. “Ainda estamos investigando o valor que ele desviou, mas em anotações dele encontramos R$ 2 milhões em desvios. Ele é sócio de uma construtora e dono de lotes no Estado de Goiás. A fase de mensurar o tamanho desse patrimônio ainda está acontecendo”, afirmou o delegado.

Celulares, notebooks e computadores doados por fiéis também foram encontrados na casa do pastor. Detido preventivamente, ele responderá por extorsão, associação criminosa, indução ao aborto e estupro de vulnerável, já que as fiéis estavam em estado de inconsciência na hora dos abusos.

Os outros quatro pastores da igreja, dentre eles a esposa de Melo, responderão apenas por extorsão e associação criminosa. Eles foram detidos temporariamente.

Leia mais:
Bispo preso por desviar dinheiro de igreja de BH também é investigado por estupro e aborto