Em acordo com a oposição, o governador Romeu Zema (Novo) decidiu manter as 110 mil vagas da Escola Integral em todo o Estado, visando a aprovação do projeto da reforma administrativa nesta terça-feira (30) na Assembleia Legislativa.

O encerramento de pelo menos 80 mil matrículas, deixando inicialmente somente 30 mil vagas no projeto, era uma das principais polêmicas da reforma administrativa e ponto de entrave para a votação do projeto na Assembleia. 

De acordo com comunicado enviado por Zema à Assembleia nesta terça-feira (30), a reforma prevê a conservação das atuais 30 mil vagas da Escola Integral. A partir do dia 1° de agosto, outras 25 mil vagas seriam abertas no projeto. Completando o cronograma, em fevereiro do ano que vem o governo se compromete a reabrir mais 50 mil matrículas.

"Entendemos que era um ponto importante e que precisava ser feito. O governo estudou e vai manter a Escola Integral", disse o deputado Luiz Humberto (PSDB), líder do governo na Casa.

A expectativa dos parlamentares é votar o projeto da reforma administrativa ainda nesta terça-feira (30).

Leia mais:
Zema defende inclusão dos estados na reforma da Previdência em encontro de governadores em SP
Na presença de Sérgio Moro, Romeu Zema anuncia 625 novas viaturas para a Polícia Militar
Sergio Moro encontra-se com Zema em BH