Músicos do grupo baiano Àttooxxá se mostraram indignados em uma live na página da banda no Instagram diante dos quadros que decoravam a parede do quarto em que estavam hospedados, no Dayrell Hotel, no Centro de Belo Horizonte. As pinturas retratavam cenas da época da escravidão no Brasil. Revoltados, os artistas tiraram os quadros da parede, levaram para o corredor e chutaram.

Hospedados na capital antes do show que aconteceu na tarde deste domingo (21), os músicos relatam a revolta ao se depararem com os quadros. "Isso insulta nossa raça, é isso que está acontecendo, (...) a visão que vocês vão ter nesse hotel é isso aqui ó", disse um dos músicos mostrando um dos quadros que retrata escravas de pé carregando coisas e o que parece ser um senhor de engenho sentado. "Em cima da cama onde a galera dorme, pra você ficar oprimido", declarou um dos integrantes da banda.

Em vários momentos do vídeo, os músicos mostram uma pasta com a logo e o nome do Dayrell e recomendam que os seguidores não se hospedem no local. Segundo um deles, a recepção chegou a ser acionada para tentar resolver o problema, mas os funcionários teriam dito que eles teriam que enviar um e-mail com a reclamação.

Seguidores que acompanharam a transmissão ao vivo mandaram várias mensagens de apoio aos músicos e também consideraram absurdo o uso de imagens como aquelas na decoração dos quartos.

Um dos integrantes da banda ainda lamentou dizendo que "quanto mais a gente caminha, mais a gente retrocede. Quem é o responsável por isso deve pensar assim até hoje de seus funcionários, das pessoas que são da nossa raça e passaram por todo esse período".

No vídeo eles declaram, ainda, que tocariam no assunto durante o show, marcado para este domingo (21), às 17h na Praça da Estação. A apresentação foi, de fato, marcada por discursos contra o racismo e a discriminação.

A reportagem tentou contato com o Dayrell Hotel, mas funcionários da recepção afirmaram que somente amanhã haverá alguém para comentar o assunto. Já a assessoria da Virada Cultural declarou que o fato não tem relação direta com a PBH, já que o hotel foi contratado pelos próprios músicos.