Depois de manter a família refém por mais de 14 horas, o tenente-coronel do Exército identificado apenas como André Luiz, de 50 anos, se entregou à polícia por volta das 10h desta quarta-feira (15). Ele estava com a mulher, a professora Luciana Arminda, de 45 anos, e os filhos gêmeos, de 11 anos, dentro do apartamento em que moram em Cascadura, bairro da zona norte do Rio de Janeiro.

A Polícia Militar informou que uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi encaminhada ao local na noite de terça-feira (14) e, nesta manhã, "conseguiu negociar a liberação das vítimas e a rendição do tomador de refém".

"O protocolo foi seguido. Ele se entregou e está sendo conduzido à delegacia. A família está sob cuidados", disse o porta-voz da PM, coronel Mauro Fliess. A PM e o Bope foram acionados por volta das 21h30 de terça e isolaram rapidamente a rua, que foi liberada por volta das 10h30 desta quarta.

Apontado como um homem violento pelos vizinhos, André Luiz mantinha a família refém desde as 20h de terça, sob a mira de uma arma. Foram os vizinhos que chamaram a polícia depois de ouvirem gritos de Luciana, que já teria registrado vários boletins de ocorrência contra ele, inclusive na Delegacia da Mulher. Ela estaria tentando se separar dele.

A movimentação foi intensa durante a madrugada em frente ao prédio da família, com a presença de homens do Bope, do Batalhão de Ações com Cães, atiradores de elite e militares do Exército, além de médicos e psicólogos. Nem a mulher nem as crianças ficaram feridas.

Leia mais:
Suspeito sequestra gerente de banco, faz funcionários reféns, mas se entrega à polícia ao ver o pai