A mineradora Anglo American assinou, nessa quinta-feira (30), um acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), no qual se compromete a custear a auditoria ambiental, que vai apurar os danos ambientais causados pelos dois rompimentos do mineroduto Minas-Rio, ocorridos em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata, em março deste ano.

De acordo com informações do MPMG, a auditoria será realizada de maneira independente por uma empresa de engenharia e consultoria ambiental. E a Anglo American deverá adotar as medidas de restauração cabíveis, além das medidas preventivas contra novos danos ambientais.

A mineradora, em nota, informou que a empresa "iniciou a recuperação do córrego Santo Antônio do Grama imediatamente após o vazamento, ocorrido no dia 12 de março. Esse trabalho foi concluído em 31 de maio. Vistoria final realizada pelo Núcleo de Emergências Ambientais (NEA) da Semad/MG atestou que o processo de limpeza foi concluído satisfatoriamente".

Além da auditoria independente, outra verificação está sendo realizada pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo S/A (IPT) com o objetivo de identificar as causas do rompimento e a dinâmica dos processos e condições de operação e de manutenção dos equipamentos e dos sistemas de controle de poluição, além da avaliação de riscos de acidentes e dos planos de contingências para proteção dos trabalhadores e da população situada na área de influência.