Os problemas que atrapalham motoristas na BR-365, no Triângulo Mineiro, serviram de base para uma ação civil pública impetrada pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a União. A ação pede uma liminar que obrigue o Dnit a apresentar e executar medidas de engenharia urgentes para reparar danos na rodovia.

A denúncia foi elaborada a partir de um ofício emitido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) dando conta dos diversos problemas da estrada e da necessidade de providências imediatas. Segundo a PRF, há trechos com possibilidade de deslizamento de terra (km 587 a 600) e queda de árvores na pista (km 593). E a grande quantidade de buracos no km 656 gera acúmulo contínuo de água na pista. 

Ainda conforme o relato, também por causa do acúmulo de água na pista no perímetro urbano de Monte Alegre de Minas (km 691 e 692), os veículos são obrigados a reduzirem a velocidade quase por completo. E entre os quilômetros 692 a 709, os buracos na faixa da direita obrigam os veículos pesados a transitarem pela faixa da esquerda, descumprindo a legislação e aumentando o risco de acidentes.

 A ação ainda solicita a colocação de dispositivos de segurança na via, como defensas metálicas, entre a cidade de Monte Alegre de Minas e o Trevão (kms 587 a 600).

A reportagem procurou o Dnit para falar sobre o assunto e aguarda retorno.

(Com MPF)