Todas as escolas municipais de Belo Horizonte estão autorizadas a contratar vigilantes para garantir a segurança do local a partir desta quinta-feira (27). A prefeitura decidiu que, além das 50 instituições de ensino que já tinham a admissão desses funcionários aprovada, as demais escolas do município também poderão solicitar individualmente a presença de vigias. A previsão é que os profissionais estejam atuando no meio do ano. 

Os gestores também poderão solicitar à Secretaria Municipal de Educação (Smed) a revisão dos equipamentos de segurança da escola. Atualmente, todos os centros de ensino de administração municipal têm sistema eletrônico de vigilância. Unidades mais ameaçadas também terão ronda e patrulha da Guarda Municipal nos fins de semana e feriados. 

Conforme a PBH, a demanda será feita à Smed pelos diretores das instituições que julgarem ser necessária a presença de vigias para aumentar a segurança ou que identificarem falhas no atual sistema eletrônico. Ainda não foi estabelecido limite de quantos funcionários podem ser contratados por escolas. Para que a medida seja possível, será feita uma readequação dos recursos financeiros destinados à pasta.

Após uma série de assaltos e invasões nas Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) em março, a importância de vigilantes nas escolas da capital mineira veio à tona. Em reportagem publicada anteriormente, o Hoje em Dia mostrou que o número de arrombamentos nas creches cresceu 123% de 2015 para 2016. Foram 49 arrombamentos somente no ano passado. 

Segundo a administração municipal, as 50 escolas que haviam sido autorizadas a admitir vigias já estão com contratos em processo de finalização ou acertados. 

Rede de proteção

Além das medidas autorizadas pelo município, a Guarda Municipal e a Smed também criarão uma rede de proteção no entorno das instituições. A Rede de Proteção da Escola funcionará de forma similar à rede de vizinhos protegidos: os moradores do local que identificarem movimentações suspeitas nas escolas poderão acionar diretamente a Guarda Municipal para vistoria imediata. 

Os diretores das escolas municipais foram instruídos nesta quarta-feira (26) a conversar com a vizinhança sobre a rede e a parceria. A Guarda Municipal também fará visitas às instituições que solicitarem a presença para analisar o nível de vulnerabilidade física do edifício. 

A Guarda verificará o sistema eletrônico já instalado e verá se há algum ponto em que é necessária uma intervenção, como colocação de grade, reparos estruturais ou mudança do posicionamento dos sensores de presença. 

Leia mais
Após segunda invasão, prefeitura autoriza contratação de vigia para Umei
Umei em BH sofre segundo assalto em 22 dias; crianças ficam sem aula
Após alta de arrombamentos em Umeis, secretaria estuda recontratar vigias