Um contrato assinado nessa quinta-feira (16) entre a Prefeitura de Belo Horizonte e o Banco do Brasil vai fornecer R$ 180 milhões em créditos à administração municipal para o recapeamento de vias públicas da cidade.

De acordo com a PBH, as obras cujos trabalhos serão financiados com o recurso ficarão prontas até 2021. Serão contempladas as vias em piores condições, combinadas com as vias mais importantes, principalmente itinerários de transporte coletivo, vias com maior fluxo de veículos e que servem de ligação alternativa entre as principais vias (corta caminho). Outra determinação do prefeito Alexandre Kalil (PHS) é que as sejam priorizadas vias em áreas com maior vulnerabilidade social.

Em uma entrevista ao Hoje em Dia em 2018, o secretário municipal de Fazenda, Fuad Noman, afirmou que somente em 2019 seriam investidos R$ 2 bilhões em obras para melhorar as condições das vias da capital. Segundo a PBH, essa expectativa se mantém e os R$ 180 milhões injetados agora são parte desse orçamento. Além das obras de recapeamento, a prefeitura afirmou, em nota, que os R$ 2 bilhões serão investidos em obras de outros setores, como saneamento, mobilidade e urbanização de vilas, esporte e lazer, saúde, educação etc.

A PBH ainda reforçou que desde o início do mandato de Kalil, a administração tem investido em serviços e recuperação de vias por meio de recapeamento ou tapa-buracos. Em 2017, foram investidos R$ 20 milhões em 57 vias recapeadas e R$ 20 milhões em tapa-buracos, com 15.335 serviços executados. Em 2018, em obras de recapeamento, a prefeitura investiu aproximadamente R$ 33,8 milhões, com 117 trechos de ruas restaurados pela Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap). Em 2018, as operações de tapa-buracos foram intensificadas com o investimento de aproximadamente R$ 30 milhões. Foram executados 93.891 serviços nas nove regionais.