Um homem de 34 anos está sendo procurado pelas polícias de Minas Gerais e do Espírito Santo suspeito de agredir, torturar e abandonar a namorada, de 36, em uma estrada em Dores do Rio Preto, cidade capixaba na divisa com Minas. O suspeito e a vítima moram em Espera Feliz, na Zona da Mata.

O mandado de prisão contra o suspeito foi expedido na segunda-feira e, segundo a Polícia Civil do Espírito Santo, estão sendo realizadas diligências nos locais onde o suspeito pode estar para que o mandado seja cumprido e a prisão efetuada. 

O crime aconteceu na madrugada de segunda-feira (4) e, de acordo com Bruno Gaspar, advogado da família da mulher, foi resultado de uma crise de ciúmes do homem. "Eles trabalham como freelancers em um restaurante no distrito de Pedra Menina e, naquela noite, ele estava brigando com ela porque queria que ela ficasse no mesmo lugar que ele e ela se negou", contou Gaspar, que estava no restaurante no dia. 

Segundo o advogado, eles saíram do local juntos e o suspeito fez um caminho diferente do habitual, na direção contrária à que costuma ir para voltar para casa. A mudança gerou desconfiança no irmão da vítima, que trabalha como gerente no mesmo restaurante, mas ele resolveu ir para casa e só descobriu o acontecido quando ligou para a irmã e ela não atendeu.

O irmão, então, ligou para o namorado da vítima, que atendeu e contou em tom alterado que o casal havia discutido, mas que ele a deixou em casa. Desconfiado, o gerente chamou outro irmão da vítima e foi até a casa do pai do cunhado, onde ouviu o homem ao telefone dizendo algo como "não faz nada, pelo amor de Deus, não faz isso com a moça, vem pra casa".

Os irmãos, então, resolveram fazer o caminho que viu o suspeito tomar e encontraram a irmã no meio de uma estrada erma no caminho para o Parque do Caparaó. A vítima estava desmaiada, seminua e bastante machucada, segundo o que contaram ao advogado. Ela tinha ferimentos em todas as partes do corpo e algumas de suas unhas da mão ainda foram arrancadas. O celular da vítima também foi roubado. A dupla a levou para o hospital em Carangola, também na Zona da Mata, e, de acordo com Gaspar, ela continua totalmente sedada e respira por aparelhos. "Apesar de grave, o estado de saúde dela é estável, ela está muito machucada, totalmente desfigurada. Ele arrastou o rosto dela no bloco de cimento da estrada, não tem nenhuma parte do corpo dela sem ferimento", contou.

Histórico

De acordo com Gaspar, o casal estava junto há cerca de um ano e esta seria a primeira vez que ele agrediu a namorada. No entanto, a família contou que descobriu nos primeiros meses de namoro dos dois que ele já havia agredido outra moça, mas resolveram dar um voto de confiança ao homem. "O irmão contou que ele nunca se comportou de forma agressiva e parecia uma pessoa acima de qualquer suspeita, a única questão que eles viam era o ciúme que ele tinha da namorada, mas até o momento era considerado normal", explicou o advogado.

A tentativa da acusação, segundo Gaspar, será de imputar ao suspeito os crimes de tentativa de feminicídio, roubo e tortura. "Ela teve as unhas arrancadas, e não acredito que isso aconteceu durante uma tentativa dela de se defender". O advogado acredita que a vítima foi retirada desacordada do estacionamento do restaurante e que parte das agressões aconteceram ainda no local. Para ele, o local onde o corpo foi deixado pode indicar a tentativa de forjar um atropelamento. "Ela foi encontrada em uma curva perigosa, se um carro passasse em alta velocidade por ali, ela seria atropelada. Além disso, o irmão da vítima encontrou o carro do suspeito parado também na estrada e o pai dele foi até lá e levou o veículo de volta, talvez na tentativa de tirar qualquer suspeita sobre o filho dele", afirmou.