A região da Lagoa Vargem das Flores, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, está sendo alvo de criminosos que tentam vender terrenos no local, que é uma Área de Preservação Ambiental (APA) e tem sua integridade garantida por lei. A ação dos criminosos está sendo investigada pela prefeitura da cidade e, nesta quinta-feira (13), um suspeito chegou a ser levado para prestar esclarecimentos à Polícia Civil.

As averiguações das atividades ilegais no local vinham acontecendo há cerca de três meses, segundo contou o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Ivayr Soalheiro. Os cerca de 1.313.195 de metros quadrados da área foram divididos em 130 lotes de mil metros quadrados, que, segundo Soalheiro, estavam sendo vendidos por valores entre R$ 30 mil e 50 mil. O secretário destacou que qualquer tipo de construção no local é proibida e está sujeita a multas e autuações. "As pessoas que estão comprando estão sendo enganadas e não poderão fazer uso dos terrenos", alertou.

Segundo Soalheiro, a ocupação da APA na região da lagoa pode causar uma série de impactos negativos, já que os recursos hídricos são responsáveis por abastecer mais de 1,5 milhão de pessoas na RMBH. Ainda de acordo com o secretário, a região já foi ocupada em 2013 por algumas famílias, o que levou ao desequilíbrio ecológico no local por causa do desmatamento para as construções e ao risco de assoreamento e contaminação das águas da lagoa. As famílias foram retiradas pela prefeitura à época. 

"O homem que levamos à Polícia Civil já tem uma série de passagens por vários crimes, incluindo alguns delitos relacionados a terras. Agora estamos coletando mais elementos para reforçar nossa denúncia e permitir que o Ministério Público de Minas Gerais e a Polícia Civil impeçam as ações dos criminosos", afirmou o secretário. Soalheiro ainda contou que a Guarda Municipal de Contagem tem atuado diariamente na região para coibir a ação dos criminosos e alertar interessados sobre o golpe.