Mais um macaco morreu em decorrência de febre amarela, em Minas Gerais. Na última segunda-feira (6), a prefeitura de Itabira confirmou o óbito pela doença de um segundo animal, encontrado no bairro Hamilton, em Ipoema, distrito da cidade. 

“Ele foi recolhido na saída de Itabira, depois do bairro Hamilton, aparentemente por atropelamento. Mas, o resultado da análise da Fiocruz chegou agora e ele estava infectado com o vírus da febre amarela”, disse a superintendente de Vigilância em Saúde do município Thereza Andrade.

Este é o segundo macaco que apresenta resultado positivo para morte por febre amarela. O primeiro caso confirmado ocorreu no último dia 9 e o município irá ampliar a cobertura vacinal.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) está analisando a causa de óbito de outros seis primatas recolhidos na cidade, a maioria encontrada no Parque Estadual Mata do Limoeiro. Para prevenir infecções em humanos, o município solicitou ao estado o fechamento temporário do local.

A secretária de Saúde de Itabira, Rosana Linhares, afirmou que, assim que confirmada a suspensão das atividades do parque, os guardas florestais são imediatamente comunicados e o trânsito na região será interrompido. 

Por meio de nota, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) informou que Parque Estadual Mata do Limoeiro está com o atendimento ao público suspenso provisoriamente, mas em função do encerramento do contrato entre o Instituto Estadual de Florestas e a Verso Terceirização, que até o dia 1º de março disponibilizava funcionários para a Unidade de Conservação.
 
Para repor o quadro de funcionários, o IEF informou que "já foram realizados concursos públicos para que o quadro de trabalhadores passe a ser composto integralmente por servidores da MGS - Minas Gerais Administração e Serviços S.A". A unidade volta a funcionar, após o preenhimento das vagas, conforme informou o IEF.

O Instituto esclareceu ainda que não foi comunicado oficialmente sobre qualquer solicitação de fechamento do parque por nenhum órgão municipal ou estadual.

Situação

Em Belo Horizonte, a morte do segundo macaco por febre amarela também foi confirmada ontem (6) pela Secretaria Municipal de Saúde (Smsa). O corpo foi encontrado na região Oeste e a supeita é que este seja oo mesmo primata que foi recolhido no parque Jacques Cousteau, no bairro Betânia, no dia 13 de fevereiro. 

Além dos dois animais com mortes pela doença confirmadas, a prefeitura enviou amostras de outros 11 primatas para análise na Fiocruz, no Rio de Janeiro. Assim como em Itabira, os parques Jaques Cousteau e das Mangabeiras, na região Centro-Sul da cidade, também foram fechados para visitação e não há previsão de reabertura.

No fim de semana, o Conselho de Desenvolvimento Ambiental de Juatuba (Codema), na região metropolitana de Belo Horizonte, também confirmou que um primata encontrado às margens de uma estrada de terra próximo a Boa Vista morreu por febre amarela silvestre.

Leia mais:
Secretaria de Saúde confirma segunda morte de macaco por febre amarela em BH
Órgão ambiental confirma morte de macaco por febre amarela em Juatuba

*Com informações da assessoria de comunicação social da prefeitura de Itabira