Uma quadrilha especializada em aplicar golpes com cartões de crédito foi desarticulada durante uma operação que começou nessa terça-feira (21), em Belo Horizonte. O que a Polícia Militar não esperava, no entanto, é que se tratavam de membros da maior equipe de estelionatários da Grande BH, especialista em golpes com máquinas de cartão de crédito.

A chamada que levou à prisão dos suspeitos foi de um juiz federal, que havia acabado de ser vítima do golpe.

Segundo informações do boletim de ocorrência, os suspeitos ligavam para as vítimas e diziam que uma compra de valor alto havia sido registrada no cartão de crédito e perguntava se a pessoa reconhecia. Ao negarem, as vítimas recebiam um número de telefone para o qual deveriam ligar e informar um protocolo. Na segunda ligação, era pedido que o dono do cartão de crédito redigisse uma carta a próprio punho dizendo que não reconhecia a compra, colocasse em um envelope junto do cartão de crédito e entregasse a um motoboy que passaria pela residência da vítima.

O cartão, a partir daí, era usado pra efetuar compras em máquinas que enviavam o dinheiro para a conta dos estelionatários. Somente no cartão da última vítima, entre 16h e 18h, já havia sido registrado um montante de R$ 48 mil em compras.

"Somente neste ano, já registramos mais de 100 ocorrências nesse modus operandi, todos golpes grandes, nos quais as vítimas perdiam, em média, todo o limite do cartão de crédito, entre R$ 7 mil e R$ 10 mil", contou ao Hoje em Dia o sargento Pablo de Souza, que comandou a operação que prendeu os suspeitos.

As prisões aconteceram durante a noite dessa terça e madrugada desta quarta e a dimensão da operação foi descoberta pela manhã. De acordo com a Polícia Civil, cinco pessoas foram presas e serão acusadas pelos crimes de estelionato e organização criminosa. 

Além dos presos, foram apreendidas seis máquinas de cartão de crédito, quatro celulares, três cartões de crédito, três chips de celular, um carro e cinco pinos de cocaína.