A queda na demanda por UTIs exclusivas para Covid-19 e a redução no índice de transmissão da doença foram decisivos para a flexibilização da quarentena em Belo Horizonte. A reabertura, a partir da próxima quinta-feira (6), foi anunciada nesta tarde pelo prefeito Alexandre Kalil.

Hoje, 84% dos leitos de UTI da capital estão ocupados. Já o índice de transmissão, o chamado RT, está em 0,91. Ou seja, cada paciente contaminado pela Covid em BH tem potencial para infectar, em média, menos de uma pessoa.

"A pressão por UTI vem caindo vertiginosamente. Na semana retrasada, chegamos a ter 90 pessoas na fila aguardando um leito. Nós últimos quatro dias, só tivemos quatro. Isso indica que as altas estão sendo maiores que a admissão", explicou o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado.

Nesta semana, os lojistas incluídos na primeira fase, inclusive os shoppings centers, poderão atender ao público de quinta a sábado. O secretário Municipal de Planejamento, André Reis, disse que será feito um teste para verificar o comportamento da população. Caso os números aumentem, um novo fechamento da cidade não está descartado.

Leia mais:
Kalil decide reabrir o comércio em BH a partir desta quinta-feira
Governo muda metodologia e Minas registra recorde de mortes por Covid em 24h; óbitos passam de 3 mil