A Via 040 está mais perto de deixar a administração da BR-040 entre Brasília e Juiz de Fora, na Zona da Mata. A concessionária conseguiu a recomendação do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), secretaria ligada à Casa Civil, e, agora, resta apenas a sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para que o trecho seja relicitado.

Os prazos e formatos da nova licitação serão definidos após a aprovação do governo federal. Ainda que vendida a outro ente privado, a administração da rodovia não voltaria ao governo. Um aditivo ao contrato atual tramita entre a Via 040 e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), para garantir que a concessionária assuma a manutenção e operação do trecho enquanto correr o processo para uma nova concessão.

Entraves

Para a Via 040, o cenário econômico pós-2014, com enfraquecimento da atividade econômica, fez com que houvesse diminuição dos prognósticos de arrecadação da rodovia, onde circularam menos pessoas e mercadorias. Além disso, a concessionária alega problemas externos para não conseguir investir mais na rodovia.

"As condições colocadas àquela época (2014) foram drasticamente alteradas por fatos supervenientes à gestão da concessionária, isto é, não houve a participação do BNDES no financiamento de longo prazo dos investimentos necessários e as licenças ambientais para obras foram emitidas com atraso", afirmou. Em nota, disse ter investido R$ 1,78 bilhão na pista, arrecadando R$ 1,3 bilhão e precisando de socorro de seus investidores.

Em agosto deste ano, o Hoje em Dia mostrou que os 12 km de pista duplicados no trecho mineiro desde 2015 correspondem ao tamanho da avenida Cristiano Machado, em Belo Horizonte. No total, segundo a própria Via 040, foram 73 km, ou seja, menos de 8% de todo o trecho licitado.