Mesmo após as mudanças anunciadas pelo Governo de Minas Gerais na escala de pagamento do funcionalismo público estadual, servidores da segurança pública e da saúde protestam por vias da região Centro-Sul de Belo Horizonte, nesta quinta-feira (13). Segundo as lideranças do movimento, que começou com protestos na Praça da Liberdade, a principal cobrança é por definições sobre o décimo terceiro salário.

Zé Maria de Paula, presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais, contou ao Hoje em Dia que o movimento não ficou satisfeito com as alterações anunciadas nessa quarta-feira (12). "Dividiram nosso salário e, mesmo antecipando uma parte, isso não resolve nossos problemas, além do 13º que eles não têm nem previsão", destacou o sindicalista. Segundo ele, a categoria reivindica o pagamento integral do salário e definições sobre o décimo terceiro.

Na mobilização, os manifestantes levam caixões pelas ruas da cidade e faixas que pedem a definição do pagamento do benefício. Um carro de som também leva lideranças e comanda a marcha dos servidores, entre os quais também estão manifestantes funcionários do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg).

Até o momento desta publicação, nenhum representante do Executivo estadual havia se apresentado para conversar com os manifestantes. À reportagem, a Secretaria de Estado de Fazenda (SES) afirmou, em nota, que, "conforme acordado com os representantes dos sindicatos dos servidores do Executivo estadual, o 13º salário será discutido em reunião a ser realizada nesta sexta-feira."

Reunião 

A Secretaria de Estado de Fazenda, ao divulgar a escala de pagamento de dezembro, também anunciou que uma reunião para deliberar sobre o 13º será realizada nesta sexta-feira (14). Representantes do governo se encontrarão para tentar chegar a um consenso sobre as datas e demais detalhes acerca do pagamento do 13º.

A primeira escala anunciada previa que os servidores receberiam R$ 2 mil nesta quinta-feira (13) e o restante do salário no dia 28 de dezembro.  Após uma série de mobilizações, entretanto, a SES voltou atrás e resolveu mudar a escala de pagamento para os servidores da segurança e da saúde (Ipsemg, Fhemig e Hemominas), que receberão uma parcela extra no dia 21 de dezembro.  Carlos Calazans, chefe de relações trabalhistas do governo estadual, ainda garantiu que, "neste resto de semana e na próxima, não mediremos esforços para que os demais servidores também recebam". 

Além das autoridades estaduais, uma comissão de entidades sindicais da segurança pública também se reúne na sexta-feira para discutir os próximos passos do movimento. Aline Risi, diretora do Sindicato dos Escrivães e da Confederação Brasileira dos Trabalhadores Policiais Civis, contou que a categoria tem uma nova paralisação marcada para a próxima segunda-feira (17) também no Detran-MG da Gameleira, onde servidores da PC se reuniram e interromperam o serviço da unidade por quase um dia inteiro na última segunda-feira (10). 

Leia mais:
Após alterar escala de pagamento para Segurança, governo garante parcela extra também para Saúde