A cidade de Muriaé, na Zona da Mata, é assolada por fortes chuvas desde a noite dessa quinta-feira (27). Até às 5h desta sexta (28), num intervalo de 18h, a Defesa Civil municipal tinha registrado 119,4 milímetros de precipitações, que causaram deslizamentos de terra, inundações em vários bairros, deixando desalojados.

Cerca de 500 pessoas foram obrigadas a deixar suas casas, com a cheias dos rios Muriaé, Preto e Glória. Os bairros São José, Barra, Napoleão, José Cirilo e Santana estão alagados desde a manhã desta sexta-feira e, segundo o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), não há previsão que o volume de água diminua nos três cursos d'água.

Pela manhã, o Corpo de Bombeiros registrou 20 ocorrências de deslizamentos de terra, com 16 casas interditadas. Apesar disso, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social ainda não abrigou ninguém, pois, segundo a pasta, os moradores preferiram ir para a casa de parentes, não solicitando alojamento.

No bairro Safira, uma casa foi coberta pela cheia do rio e foi interditada. Na rua Santa Maria, moradores de dois imóveis tiveram que sair às pressas por risco de deslizamentos. No bairro Barra II, um carro foi atingido por um muro que desabou. Não houve vítimas ou feridos em nenhuma ocorrência.

Durante a madrugada desta sexta-feira, a BR-356, que liga a cidade ao distrito de Vermelho ficou fechada devido a um deslizamento de terra de um talude. A estrada só foi liberada por volta das 10h, e a circulação ficou congestionada até por volta das 12h.

O coordenador da Defesa Civil, Leandro Cunha, informou que o volume dos rios que cortam as cidades ainda tende a subir, já que o volume de chuvas apenas diminuiu, mas não não parou de chover em cidades do entorno. "A previsão é que aqui só haja diminuição do volume a noite ou amanhã (sábado, 29)", afirmou.

Por meio de um vídeo nas redes sociais, Cunha alertou a população para medidas a serem tomadas de prevenção nos próximos dias, quando o município continuará tendo chuvas fortes. O risco geológico, para deslizamentos e desabamentos, continua.

"Na semana que vem nós teremos dias intercalados com chuva forte e dias com estiagem. Então, gostaria de pedir que mantenham-se atentos ao movimento que está acontecendo nos rios para que a população possa ter uma resposta mais rápida, caso essa cheia se elevar", afirmou.

Em caso de emergência, os moradores estão sendo orientados a ligar para os telefones 190, do Corpo de Bombeiros, e 199 e (32) 98826-9846, que são os plantões da Defesa Civil.

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) emitiu alerta para a cidade de Patrocínio de Muriaé, na mesma região, já que o rio Muriaé está 80 centímetros acima do que é chamado cota de inundação, margem de altura d'água para enchentes. As cidades de Cardoso Moreira e Itaperuna, ambas no Rio de Janeiro, também estão sob estado de atenção.

CPRM rio Muriaé alerta

A prefeitura de Muriaé está realizando uma campanha para arrecadar produtos de limpeza, higiene pessoal e alimentos não perecíveis. Os materiais devem ser levados à Secretaria de Desenvolvimento Social (avenida Silvério Campos, 258, Safira), que está de plantão 24 horas.

Leia Mais:
Barranco cede, atinge casa e deixa quatro feridos no bairro Nova Cintra
Cemig abre comportas da Usina Três Marias, que está perto do limite de armazenamento
Sobe para 17 o número de casos suspeitos do novo coronavírus em Minas