Três a cada 4 óbitos por Covid foram registrados em menos de 7 meses em Minas

Luiz Augusto Barros
@luizaugbarros
29/07/2021 às 08:20.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:32
 (Reprodução/Freepik)

(Reprodução/Freepik)

A cada quatro mortes por Covid-19 em Minas, três ocorreram neste ano. Ontem, o Estado ultrapassou 50 mil vidas perdidas. Para especialistas da saúde, o número poderia ser menor se a vacinação fosse mais ágil. Ao mesmo tempo, médicos destacam que as notificações já apresentam queda em decorrência da imunização, o que não significa aval para ignorar os cuidados. 

Somente em 2021, 38 mil óbitos por coronavírus foram registrados no território mineiro, segundo a Secretaria de Estado de Saúde – ou 76% do total. No ano passado, foram 12 mil. De acordo com o boletim da SES, a letalidade está em 2,6%, quase meio ponto percentual a mais na comparação com dezembro.

Da virada do ano para cá, o perfil dos infectados é outro. Em sete meses, a média de idade dos que morreram caiu quatro anos, chegando a 67. Além disso, com a circulação das novas cepas, o vírus passou a acometer mais indivíduos sem doenças crônicas. Neste momento, 67% dos mortos têm comorbidades. Antes, a proporção era de 74%. 

Para Marcelo Gomes, pesquisador em saúde pública e coordenador do InfoGripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a demora na distribuição das vacinas contribuiu para o quadro. De acordo com o epidemiologista, muitas vidas poderiam ter sido poupadas.

“Se tivesse começado antes, com uma campanha mais rápida, com um volume maior de doses sendo distribuídas a cada janela de envio, sem dúvida o impacto (da proteção) seria maior”.

Só em 28 dias de julho, Minas já contabilizou 3,6 mil óbitos, quase o dobro em relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram registradas 1.872 vítimas. No entanto, segundo o especialista, o cenário, que vem em ritmo de queda há algum tempo – foram 5,9 mil mortes em junho –, deve se estabilizar nas próximas semanas. Mesmo com a dificuldade na distribuição dos imunizantes, o governo estadual está confiante em cumprir o calendário da população adulta. 

A meta é vacinar com a primeira dose todos os maiores de 18 anos até setembro. Conforme revelou o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, mais de 230 mil doses são aplicadas diariamente. “Estamos no melhor momento que os municípios têm em velocidade”.

Segundo o Vacinômetro, 9,6 milhões de mineiros foram imunizados. Deste grupo, 3,3 milhões receberam o reforço e 367 mil a Janssen, administrado em dose única.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por