A cava da Mina Córrego do Feijão será usada como depósito de rejeitos pela Vale. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) autorizou o uso do local para receber o material e a atividade pode ser iniciada a qualquer momento. A cava é o buraco que fica da exploração de uma mina. O objetivo, conforme a empresa, é facilitar o trabalho de buscas dos bombeiros em áreas ainda não vistoriadas.

É que o rejeito a ser inserido na cratera é proveniente das buscas. O material já inspecionado seguirá para armazenamento assim que liberado na inspeção dos militares e, segundo a Vale, o tamanho da cava é suficiente para receber a quantidade que precisa ser armazenada. 

"O uso do local é a solução definitiva e mais segura para acomodar o rejeito, uma vez que a cava é uma escavação realizada em rocha resistente, controlada e monitorada em termos ambientais, geotécnicos e operacionais", informou a mineradora, em nota.

O transporte será feito com caminhões, que utilizarão exclusivamente as vias internas do complexo. 

Leia mais:

Virada no Inhotim: MecaNew Year promete réveillon especial com mais de 15 shows ao ar livre
Natal em Brumadinho marca 11 meses de tragédia e lembra 270 mortos: 'nada a comemorar'