Diante do risco da volta de doenças contagiosas graves consideradas erradicadas ou controaldas, a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) prepara uma ação voltada para as crianças com idade entre um e quatro anos e que ainda não se imunizaram contra o sarampo.

Os Centros de Saúdes estão preparando um levantamento dessas crianças para uma  “busca ativa” aos faltosos nas salas de vacinação.  Apesar da vacina contra o sarampo está disponível o ano todo nos 152 postos, a cobertura vacinal em crianças de um ano vem caindo. Em 2016 a cobertura foi de 90,89% e caiu para 89,94 no ano seguinte. Em 2018 até 30 de julho, o índice registrado é de 70,01%.

Segundo a SMSA, este ano houve a notificação de três casos da doenca, que foram descartados após investigação. O último caso em BH foi em 1997.  

Em Minas, 106 casos estão em investigação, sendo 56 suspeitos para sarampo e 50 para rubéola. Ainda não há notificações confirmadas, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) apontam que em 2017 foram notificados 66 casos suspeitos de sarampo e 145 de rubéola, totalizando 211 casos. Todos descartados pelo critério laboratorial.  O Estado teve os últimos casos de sarampo  em 1999, com nove registros. Mas em 2013 houve dois casos importados da doença dos EUA. Em relação à rubéola, foram confirmados 28 casos da doença no Estado em 2008.

E é sempre bom lembrar que a única forma de prevenção contra o sarampo é a vacina. A  tríplice viral está disponível em todas as unidades básicas de saúde (UBS) de Minas Gerais e protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba.

Em agosto, campanha nacional de imunização está marcada entre 6 e 31 de agosto e o dia D de mobilização acontece no dia 18. O público alvo são crianças de 1 a 4 anos (11 meses e 29 dias).

A cobertura vacinal contra o sarampo (Tríplice Viral em crianças de 01 anos) em Minas Gerais está em 70,01%, segundo a SES. Em 2016 o indice era de 90,89.

Confira o gráfico dos últimos anos:

Confira o gráfico dos últimos anos:

 

Esquema de vacinação por idade:

Aos 12 meses de idade, a criança deverá receber a primeira dose da vacina tríplice viral
(que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba);

Aos 15 meses de idade, a criança deverá receber segunda dose com a vacina a tetraviral
(contra o sarampo, a rubéola, a caxumba e a catapora/varicela) ou a vacina tríplice viral e
a de varicela monovalente;

De 02 a 29 anos, caso não tenha nenhum registro de dose da vacina tríplice ou tetraviral,
deverão receber duas doses com intervalo de no mínimo 30 dias da primeira dose;

De 30 a 49 anos, caso não tenha nenhum registro de dose da vacina tríplice ou tetraviral,
deverá receber apenas uma dose;

Os profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, dentistas e outros), independente da
idade, devem ter duas doses válidas da vacina tríplice viral documentadas.