Equipes da Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerias (Cohab) começaram, nesta quarta-feira (19), o processo de limpeza do terreno habitado de forma irregular por 432 famílias em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A desocupação do espaço foi determinada em ação de reintegração de posse expedida pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e acordada entre os moradores, o Governo de Minas e a Prefeitura de Contagem.

A retirada das famílias das ocupações William Rosa e Marião foi confirmada, de forma pacífica, em junho deste ano, após decisão judicial em que determina a entrega do terreno a Companhia de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa).

No acordo, ficou estipulado que as famílias fossem inseridas em programas habitacionais como “Minha Casa, Minha Vida” e que, até o fim do processo de construção das habitações, elas recebam uma ajuda para aluguel no valor de R$ 450 mensais.

Segundo o presidente da Cohab, Alessandro Marques, grande parte dos moradores saíram de forma espontânea do local. “Os moradores desmontaram os barracos ou queimaram o que sobrou. Agora, estamos fazendo a limpeza do terreno para que o judiciário vistorie a área e que seja entregue a Ceasa”, explica.

De acordo com a Cohab, ainda há no terreno 32 famílias com extrema vulnerabilidade social. “Estamos providenciando o local de moradia para esses moradores. Acreditamos que até a próxima sexta-feira (21) todas as famílias estejam devidamente instaladas para que possamos concluir o processo de limpeza do terreno”, reforça.

Habitação

Ainda de acordo com o presidente da Cohab, a previsão é a de que as construções habitacionais fiquem prontas em até 18 meses. Atualmente, a Cohab realiza análise e vistoria em 11 possíveis terrenos em Contagem. “Estamos em processo de verificação das áreas onde os complexos habitacionais poderão ser construídos. O programa atenderá, além das 432 famílias, outras cadastradas nos programas sociais da prefeitura”, disse Marques.