Foi solto, após pagamento de fiança no valor de R$ 39.400, na noite de segunda-feira (31), por volta de 18 horas, o colombiano César Augusto Martinez Loaiza, que dirigia embriagado e provocou um acidente que matou uma pessoa na madrugada de domingo (30), na avenida Nossa Senhora do Carmo. Loaiza estava detido no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) de Contagem, na Grande BH.

O valor foi estipulado pela juíza Dra. Paula Murça Machado Rocha Moura, durante audiência de custódia realizada na segunda. Segundo a decisão da magistrada, ela levou em conta o fato do autuado ser "comerciante estabelecido na cidade e com condições financeiras para arcar com o pagamento do valor arbitrado". No mesmo documento, ela ressalta a gravidade do caso. "O acidente ocorreu em local de grande fluxo de veículos, tendo o autuado abandonado o local dos fatos, somente retornado após o socorro das vítimas".

Segundo o delegado de plantão do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran), Pedro Ribeiro de Oliveira Sousa, que atendeu o caso, o colombiano não teria direito a fiança, devido a soma dos crimes de homicídio culposo na direção de veículo e omissão de socorro, respectivamente, artigos 302 e 304 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). "Como as penas, somadas, ultrapassam cinco anos, ele deixa de ter direito a fiança e segue daqui direto para a cadeia", detalhou.

Loaiza vive em Belo Horizonte há cerca de dois anos. Ele chegou a confirmar ser o dono do carro e, num primeiro momento, negou que estivesse dirigindo no momento do acidente. Mas, em depoimento ao delegado voltou atrás e assumiu que conduzia o veículo.

O motorista da van - que transportava cerca de 12 pessoas de uma festa de formatura - contou à Polícia Militar que seguia pela avenida Nossa Senhora do Carmo, sentido Centro, quando foi surpreendido pelo carro de passeio - de propriedade do estrangeiro - em alta velocidade, no sentido oposto. Ele teria tentado acelerar para evitar uma colisão, mas não conseguiu sair ileso.

Excesso de pontos na carteira

Loaiza tem 72 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por infrações cometidas no trânsito. Pela legislação, a partir do momento que se atinge 21 pontos, um processo já deveria ser aberto para suspender o documento. De acordo com informações do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), da Polícia Civil mineira, Loaiza atingiu o limite no ano passado, e os 72, em fevereiro deste ano.

O coordenador de operações policiais do Detran, delegado Anderson Alcântara, ainda destacou que pedirá a suspensão cautelar da carteira de Loaiza. "Ele tem direito de ampla defesa e enquanto isso, não posso pegar a carteira. Mas como agora o homem se envolveu em um crime, tenho a possibilidade de pedir a suspensão cautelarmente, e o juiz é quem analisa. Neste caso, a carteira é suspensa no momento em que o juiz decidir", explicou.

Capotamento

A van foi atingida na traseira e, após o choque, capotou na pista. O rapaz que morreu bateu a cabeça no passeio. O corpo dele foi levado para o Hospital Municipal Odilon Behrens, na região da Lagoinha, na capital. A esposa da vítima, de 41 anos, fraturou costelas, teve uma lesão no fígado e foi levada para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. O estado de saúde dos outros passageiros não foi informado.

Bafômetro

O colombiano se submeteu ao teste do bafômetro, que indicou 0,38 miligramas de álcool por litro de ar expelido. A concentração implica em crime de trânsito, com multa de R$ 1.915,40 e suspensão do direito de dirigir.