Integrantes de movimentos sociais, que ocupavam a Câmara Municipal de Belo Horizonte desde o dia 2 de setembro, decidiram desocupar o local nesta sexta-feira (11).

De acordo com a integrante do Passe Livre, Pabs Andrade, às 19h os manifestantes farão uma festa de despedida. "Encerraremos com um movimento cultural pois acreditamos que toda luta está atrelada a manifestações culturais", informou.

De acordo com ela, a decisão de desocupar a Câmara foi tomada pois os manifestantes não conseguiram ser ouvidos pelos parlamentares.

Na quinta-feira, a Procuradoria da Câmara informou que entrou com uma ação na Justiça pedindo a reintegração de posse do local, algo considerado abusivo para os integrantes dos movimentos. Um oficial de justiça foi até ao local da ocupação na tarde desta sexta para entregar o documento informando da ordem para a saída do local

"Tentamos conversar com os vereadores, principalmente com os integrantes da Comissão de Tranportes, mas não conseguimos diálogo. Então, entendemos que continuar aqui será inválido. Percebemos que a casa do povo não é aberta para reivindicações populares", disse Pabs Andrade.

O Tarifa Zero BH, também manifestou repúdio à atitude. "Tomamos conhecimento, pela imprensa, de que está em curso um pedido de reintegração de posse por parte do presidente da Câmara, vereador Wellington Magalhães (PTN). Tal ação judicial ocorreu sem que tenha havido nenhum diálogo anterior buscando esclarecer quaisquer de suas acusações declaradas à imprensa. Ao contrário, dois dias após o ocorrido protocolarmos na presidência um pedido de reunião com o fim de esclarecer as acusações, mas não obtivemos nenhum retorno", informou o texto.

O grupo vai realizar novas reuniões para definir os rumos do movimento. Segundo Andrade, os movimentos sociais pretendem realizar novos atos contra o aumento de passagem.