O Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) da Gameleira, na região Oeste de Belo Horizonte, está impedido de receber novos presos, pois está próximo de atingir a lotação máxima de 1,2 mil detentos. Atualmente, conforme a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sesjup), a unidade está com 1.192 internos e, por isso, os presos em flagrantes na capital mineira estão sendo levados para outras unidades.

Em maio deste ano, de acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, um juiz determinou a interdição parcial do Ceresp da Gameleira. Na decisão, o magistrado determinou que o número de detentos não poderia ultrapassar os 1.200. "Um novo fluxo de admissão já existe para que o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) da Gameleira não ultrapasse o teto de 1.200 custodiados, conforme estipulado pelo juiz local", informou a Sesjup.

Em nota, a secretaria garantiu que, desde maio, quando o limite era de 1.400 presos, está atendendo à solicitação do Poder Judiciário. "A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais, informa que está em constante diálogo com o Poder Judiciário para minimizar os impactos da superlotação nas unidades prisionais".

Procurado pela reportagem, a Polícia Civil informou apenas que "os suspeitos estão sendo encaminhados para as unidades prisionais que tenham vagas disponíveis".

Segurança Máxima

No início deste mês, a Justiça determinou a interdição do Presídio de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH. Com a decisão, a unidade com 2.200 detentos não pode mais receber presos.

Leia mais:
Dupla é flagrada dentro de cela na Nelson Hungria orientando comparsas em rapto de jovem
Após rapto de criança, presos da Nelson Hungria ordenaram sequestro em Bom Despacho; veja vídeo
Detentos que iriam para a Nelson Hungria serão remanejados para outros presídios
Justiça volta a interditar Nelson Hungria e penitenciária não pode receber detentos