Após apresentar piora dos indicadores da pandemia de coronavírus, a macrorregião do Triângulo do Norte regrediu para a Onda Vermelha do programa Minas Consciente. Já as macrorregiões Noroeste e Triângulo do Sul vão permaneceram na Onda Vermelha, por mais uma semana. O anúncio foi feito pelo Comitê Extraordinário Covid-19 nesta quinta-feira (17) e passa a valer nesta sexta-feira (18). 

O estado tem, até o momento,  12 das 14 macrorregiões de saúde na onda vermelha e duas na etapa intermediária do plano. Na média estadual, a taxa de incidência cresceu 13% nos últimos 14 dias.

Segundo o Governo de Minas, das macrorregiões que estão na onda vermelha, cinco apresentam dados mais preocupantes e, por isso, estão enquadradas nos critérios de classificação pelos cenários epidemiológico e assistencial. Assim, as macros Sul, Centro-Sul, Leste do Sul, Oeste e Nordeste, esta última a partir desta semana, passam por análise ainda mais minuciosa dos indicadores Incidência e Espera por Atendimento, para identificar as tendências de piora na transmissão da doença e na ocupação de leitos e possíveis filas.

Ainda conforme o governo, nessas localidades, estão sendo implementadas ações específicas como a transferência de pacientes, diagnóstico para ampliação de leitos, monitoramento de casos e envio de forças-tarefas para os municípios.

“Estamos empenhados para acelerar o ritmo de vacinação. Minas é o estado que mais aplicou doses. Mas é preciso que a população continue fazendo a sua parte, se protegendo e protegendo os outros. Uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento são medidas necessárias mesmo entre as pessoas que já tomaram a vacina. A pessoa vacinada pode pegar o vírus e pode transmiti-lo”, alertou o secretário de Saúde, Fábio Baccheretti.

Baccheretti explicou ainda que apesar dos dados monitorados pela Sala de Situação apontarem que a incidência da doença no estado continua alta, as mortes e a espera por leitos não acompanham a mesma tendência, o que, segundo ele, é um bom sinal. Hoje, 131 pacientes aguardam na fila por um leito de UTI para tratamento de Covid. “O que já mostra os efeitos positivos da vacina”. 

Fazem parte do Triângulo do Norte os municípios de Abadia dos Dourados; Araguari; Araporã; Cachoeira Dourada; Campina Verde; Canápolis; Capinópolis; Cascalho Rico; Centralina; Coromandel; Douradoquara; Estrela do Sul; Grupiara; Gurinhatã; Indianópolis; Ipiaçu; Iraí de Minas; Ituiutaba; Monte Alegre de Minas; Monte Carmelo; Nova Ponte; Patrocínio; Prata; Romaria; Santa Vitória; Tupaciguara. Uberlândia está classificada na mesma fase, mas tem plano próprio de retomada da economia.

Já na macrorregião Noroeste fazem parte os municípios de Arapuá, Carmo do Paranaíba, Cruzeiro da Fortaleza, Guarda-Mor, Guimarânia, João Pinheiro, Lagamar, Lagoa Formosa, Lagoa Grande, Matutina, Paracatu, Patos de Minas, Presidente Olegário, Rio Paranaíba, Santa Rosa da Serra, são Gonçalo do Abaeté, São Gotardo, Serra do Salitre, Tiros, Varjão de Minas e Vazante.

Fazem parte do Triângulo do Sul os municípios de Campina Verde, Carneirinho, Comendador Gomes, Fronteira, Frutal, Itapagipe, Iturama, Limeira do Oeste, Pirajuba, Planura, São Francisco de Sales, União de Minas, Água Comprida, Campo Florido, Conceição das Alagoas, Conquista, Delta, Uberaba, Veríssimo, Araxá, Campos Altos, Ibiá, Nova Ponte, Pedrinópolis, Perdizes, Pratinha, Sacramento, Santa Juliana e Tapira que deverão seguir as determinações do plano estadual caso não tenham planos próprios, como é o caso de Uberaba.