Por causa das baixas temperaturas registradas no últimos dias e a previsão de chegada de uma nova frente fria, a Prefeitura de Belo Horizonte anunciou, nesta quinta-feira (29), um plano de contingências para acolher e proteger a população de rua.

O período crítico vai até 5 de agosto e será utilizada a estrutura do Centro de Operações (COP), que fica na BHTrans, no bairro Buritis, região Oeste da capital, para monitorar os trabalhos.

Numa ação conjunta, equipes do Serviço de Abordagem Social, Consultório de Rua e BH de Mãos Dadas, que atuam nas nove regionais da cidade, vão entregar cobertores e intensificar o encaminhamento das pessoas para unidades de acolhimento. Atualmente, o município conta com 600 vagas diárias, com oferta de alimentação, higienização, guarda de pertences e pernoite. 

Outra medida é a adoção de um protocolo especial nos serviços de saúde. Caso agentes públicos em campo, de qualquer área, percebam que uma pessoa em situação de rua tenha sinais de hipotermia ou agravos, ela será encaminhada para uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA).

O Centro de Operações vai funcionar em regime de plantão de 24 horas para compartilhar orientações com os agentes que estiverem nas ruas e que identificarem situações de emergência. Em casos de emergência no período da noite, a população também poderá acionar o telefone de plantão (153).  

Também no período de frio, os cardápios dos restaurantes populares e das unidades de acolhimento também passarão por adequações nutricionais com cardápios preparados para estação do inverno.

Leia Mais:
Frio impacta na feira: geada em Minas destrói culturas de hortaliças e frutas que abastecem o país
Minas se prepara para temperatura abaixo de zero
Chegada de frente fria aumenta preocupação com idosos, doentes crônicos e pessoas em situação de rua