O fim de semana na capital mineira será tomado por 24 horas initerruptas de atividades culturais. A partir das 19h deste sábado (16), começa a 6ª edição da Virada Cultural de BH, que pela primeira vez terá a maioria das atrações em formato on-line. 

O tema deste ano, segundo a prefeitura, representa o momento de retomada vivenciado pelo setor: “Cultura vibra, viva, vira”. Por meio do canal da Fundação Municipal de Cultura no YouTube, o público terá acesso a mais de 200 horas de programação gratuita, com conteúdos pré-gravados ou ao vivo, com tradução em libras, em nove espaços de transmissão simultânea - cada um deles foi batizado de "Vira".

No hipercentro de BH, algumas intervenções urbanas também poderão ser vistas. O formato das ações é programado para evitar aglomerações. Todas as apresentações segurão os protocolos de saúde e segurança, garante a organização.

Serão mais de 2,1 mil artistas em 329 atrações da programação. A secretária municipal de Cultura e presidente-interina da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin, comenta as novidades e expectativas para a edição 2021.

“É um evento que ao longo dos últimos anos se consolidou na cidade, sendo esperado com grande expectativa pela população e pelos artistas. Estamos realizando este ano uma edição diferente de todas já feitas até então, que concentra boa parte das atrações no formato virtual, mas contando também com intervenções espalhadas pela cidade, que trarão a energia única da Virada Cultural para quem passar pelo hipercentro de Belo Horizonte neste sábado e domingo. Convidamos a todos e todas para vivenciarem conosco uma experiência inédita nesta Virada Cultural, onde a cultura da nossa cidade será a nossa protagonista”, afirma.

Ainda de acordo com a PBH, o público só poderá assistir ao festival durante as 24 horas de transmissão, porque o conteúdo não ficará salvo. Como muitas atrações foram pré-gravadas, cenários importantes da capital poderão ser representados, como  o Viaduto Santa Tereza, Estação Central do Metrô e a Associação Cultural no Aglomerado da Serra.

Exposição da SLU

Dentro da programação da Virada, a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) fará uma exposição da história das embalagens, desde a pré-História e a Grécia antiga até os dias atuais. O objetivo é "sensibilizar o público sobre questões contemporâneas como o consumo exagerado de bens industrializados e, consequentemente, o desperdício e o aumento dos resíduos na cidade".

A mostra já passou por diversos pontos culturais de BH e agora está no Museu de Artes e Ofícios. Além da participação no festival, “A História das Embalagens” poderá ser visitada presencialmente, de 16 a 24 de outubro, na Praça Rui Barbosa, 600, no Centro da capital. Os horários de funcionamento estão disponíveis no site do museu.

Leia mais:
Minas promove Dia D da campanha de multivacinação neste sábado; 18 imunizantes estão disponíveis
Butantan recebe autorização para iniciar testes de soro anti-Covid