Diante da sinalização da Prefeitura de Belo Horizonte de um possível retorno do ensino presencial em março, a Comissão de Educação da Câmara Municipal de BH iniciou, nesta quarta-feira (17), uma série de visitas a escolas municipais da capital para verificar os preparativos para a retomada segura durante a pandemia de Covid-19.

A primeira visita teve duração de duas horas e foi feita à Escola Municipal Imaco, localizada no bairro Funcionários, na região Centro-Sul, nessa manhã. Ao todo, a comissão legislativa pretende visitar 15 escolas municipais, em diversas regiões da cidade (veja lista abaixo).

A visitação foi aprovada pela Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura, Desporto, Lazer e Turismo da CMBH após requerimento do vereador Wilsinho da Tabu (PP), que esteve no Imaco nesta quarta, juntamente com os colegas Macaé Evaristo (PT), Rubão (PP) e Fernanda Borja (Avante).

visita Imaco

Rubão (PP), Fernanda Borja (Avante), Wilsinho da Tabu (PP) e Macaé Evaristo (PT) em visita ao Imaco

De acordo Wilsinho, a avaliação do colégio constatou a ausência de equipamento para álcool gel com acionamento pelo pé, além de problemas na abertura de janelas e ventilação escassa, falta de marcações no chão e dimensões insuficientes das salas.

"São alguns dos pontos que ficaram mais evidentes para receberem atenção imediata do Executivo", relatou o vereador, que também cobrou um calendário de vacinação que contemple servidores e estudantes para o retorno seguro às aulas.

Outro lado

A Secretaria Municipal de Educação confirmou a sinalização de possibilidade de retorno presencial das aulas no início de março. No entanto, reforçou que a retomada só ocorrerá após a avaliação dos estudos científicos, dos indicadores de evolução da epidemia e das autoridades de saúde de BH.

Conforme a prefeitura, a volta presencial às aulas deverá ocorrer em três fases, que foram definidas de acordo com a idade dos alunos. A primeira etapa concentra alunos da educação infantil de 0 a 5 anos, que estudam nas escolas da rede municipal, nas creches parceiras e, também, na rede particular.

A segunda fase é voltada para estudantes de 6 a 8 anos; e o terceiro e último momento é para o reinício do ensino para crianças de 9 a 14 anos.

 

Críticas da Comissão

Em relação às críticas apontadas pela Comissão, a Prefeitura de Belo Horizonte afirmou que já instalou dispensers de álcool em gel "em número e nos locais indicados pelo protocolo".

No entanto, explicou que tem mais de 10 mil unidades sobressalentes e para reposições e que "a instalação será imediata assim que apontados os locais para além dos protocolares já atendidos".

"Observamos que os protocolos sanitários da cidade não preconizam totens de pé em escolas e, sim, os de mão, que foram especificados e licitados pela própria secretaria de saúde", declarou. A prefeitura também se posicionou sobre as janelas. 

"Sobre a metragem das janelas consideradas insuficientes, a secretaria aguardará o relatório detalhado com apontamento da sala na qual não se identificou abertura de vãos superior a 1/5 da área do piso para imediata ampliação. Em análise dos engenheiros da PBH realizadas em setembro/20 não foram identificados vãos insuficientes nesta escola e por isso não foi realizada ainda a alteração", finalizou a nota.

Agenda de visitas

Conforme a Câmara Municipal, as visitas ocorrerão sempre às 9h da manhã, nos seguintes locais:

  • 22 de fevereiro: escolas municipais George Ricardo Salum e Professora Alcida Torres, no Bairro Taquaril; e a Escola Municipal Levindo Lopes, no Bairro Paraíso;
  • 8 de março: escolas municipais Emídio Berutto, no Santa Inês, Professora Marília Tanure Pereira, no Esplanada, e Monsenhor João Rodrigues de Oliveira, no bairro São Geraldo;
  • 15 de março: Escola Municipal Santos Dumont, no bairro Santa Efigênia; e escolas municipais Professor Domiciano Vieira, no bairro Sagrada Família, e Israel Pinheiro, no Alto Vera Cruz;
  • 22 de março: escolas municipais Professor Lourenço de Oliveira, no bairro Santa Tereza, Padre Francisco Carvalho Moreira, no São Geraldo, e Doutor Júlio Soares, no Granja de Freitas;
  • 29 de março: escolas municipais São Rafael, no bairro Pompéia, Wladimir de Paula Gomes, no Caetano Furquim, e Fernando Dias Costa, no bairro Taquaril.

Leia mais:
Fiocruz disponibiliza vídeo explicando produção da vacina Oxford/AstraZeneca
Motorista e sobrinhos caem de viaduto de cerca de 12m de altura em BH
PBH libera música ao vivo em bares e restaurantes a partir desta quinta; veja o que pode e não pode