A estiagem e a queda do nível do rio São Francisco e em seus afluentes, mobilizou o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) a propor medidas emergenciais para minimizar os prejuízos. Um documento foi emitido nesta terça-feira (30) e será enviado para diversos órgãos federais e estaduais.
 
Segundo o CBHSF, entre as medidas propostas está a retomada da Carta de Petrolina, de 2011, e a instalação imediata de um Comitê Gestor da Revitalização, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). Além disso, também há a sugestão da realização de levantamentos sobre a situação das nascentes, do nível dos cursos d'água em toda a bacia, realização de campanhas educativas, além de investimentos para a contenção de erosões e construção de barraginhas.
 
Em Minas, segundo diz o documento, a seca já atinge duramente 77 municípios ribeirinhos. Mas os problemas estão por toda a bacia: “Da nascente à foz o rio vem diminuindo sua vazão, comprometendo a quantidade e a qualidade das águas, as atividades econômicas e inviabilizando os usos múltiplos”, alerta o documento.
 
O pronunciamento ocorreu dois dias depois da visita técnica feita ao Parque Nacional da Serra da Canastra, na região Centro-Oeste de Minas Gerais, onde a principal nascente do rio São Francisco secou.