Para protestar contra o aumento da tarifa do metrô de Belo Horizonte, que chegou a R$ 4,25, o Sindicato dos Metroviários de Minas Gerais (Sindimetro-MG) está distribuindo gratuitamente bilhetes na manhã desta terça-feira (10) para pessoas desempregadas. A ação é realizada na porta do UAI Praça Sete.

Para o sindicato, o governo deveria, diante da crise econômica, trabalhar para aliviar os custos do trabalhador, que tem aproximadamente 30% de sua renda comprometida com transporte. De maio de 2019 a março de 2020, o valor da passagem do metrô foi reajustado em 136%.

De acordo com o Sindimetro, o aumento escalonado de R$ 1,80 para R$ 4,25 não trouxe mais receitas para a Companhia de Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), porque milhares de passageiros deixaram de usar esse meio de transporte.   

Para o sindicato dos metroviários, o uso do metrô “tem um grande ganho social, ecológico e econômico que não aparece nas receitas, que é de reduzir a emissão de gases, acidentes de trânsito e transtornos como engarrafamentos, atrasos e longas horas de deslocamento”.

A CBTU informou que não irá se posicionar sobre o assunto.  

Leia mais:
Megaoperação tem troca de tiros e suspeito morto em Visconde do Rio Branco
Homem morre após cair em moedor industrial de fábrica de salgados em BH