Daqui a exatos 13 dias, as aulas presenciais nas escolas de Minas poderão ser retomadas. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (23) pelo governo estadual. A medida abrange instituições públicas e privadas localizadas nas macrorregiões que estejam nas ondas amarela ou verde do Minas Consciente.

O retorno não será obrigatório. Caberá às prefeituras – e familiares dos alunos – a definição. Em Belo Horizonte, o Executivo já informou que não irá aderir à medida. Por nota, disse que irá, inclusive, publicar um decreto recolhendo o alvará de funcionamento das escolas infantis, fundamentais, de ensino médio e superiores da cidade.

Confira o tira-dúvidas:

Quais escolas podem retomar o ensino presencial?
Instituições de cidades incluídas nas ondas amarela do Minas Consciente (que abrange serviços não essenciais, como clínicas e bares) e verde (também de atividades não essenciais, mas com alto índice de contágio, como academias) 

Quando as aulas podem voltar?
Faculdades públicas e privadas (incluídas na onda amarela e verde) e colégios particulares que ofereçam ensinos básico, médio e fundamental (onda verde) a partir de 5 de outubro; escolas estaduais voltarão gradativamente, começando pelo 3º ano, alunos que farão o Enem, a partir de 19 de outubro.

O retorno é obrigatório às instituições?
Não. Caberá a cada prefeitura deliberar sobre a volta às aulas. 

Alunos que não comparecem às aulas vão receber falta?
Não. No caso dos colégios estaduais, as famílias terão autonomia para autorizar a ida do estudante.

Como fica o ensino para quem não aderir?
O ensino remoto por meio de apostilas, internet e televisão será mantido no Estado.

Quais serão as regras de funcionamento das escolas?
Ainda não estão devidamente traçadas. Um protocolo com as medidas de segurança, monitoramento constante e suspensão das aulas em caso de aumento dos casos de Covid será publicado na semana que vem.