O homem que matou a enteada de 1 anos e meio no bairro Conjunto Esperança, na região do Barreiro, foi condenado a 18 anos de prisão em regime fechado, nesta sexta-feira (23). O acusado teria agredido a criança com golpes na cabeça, no momento em que a mãe havia saído para trabalhar, no dia 26 de dezembro de 2016. Como a decisão é em primeira instância, o réu pode recorrer.

O 2º Tribunal do Júri de Belo Horizonte considerou o homem culpado por homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, com emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima e por ser crime contra mulher em contexto de violência doméstica e familiar (feminicídio).

O defensor público Marcelo Tadeu de Oliveira não pediu a absolvição do réu, mas argumentou pela retirada de duas qualificadoras do crime, a de motivo torpe e a de emprego de recurso que dificultou a defesa dela. Já o promotor Justiça Herman Lott fez questão de reforçar a crueldade do padrasto na agressão contra a criança.

Em seu depoimento diante do júri, o réu confessou a autoria do assassinato, mas preferiu utilizar o direito de permanecer calado, não revelando detalhes de como a morte ocorreu.

O crime

De acordo com a denúncia, o homem assumiu os cuidados da menina para que a mãe da criança, que era sua companheira, pudesse sair para trabalhar. Após agredir a menina e deixá-la inconsciente, ele fugiu, sem prestar socorro.

Duas horas após as agressões, a mãe da menina chegou do trabalho e encontrou sua filha desacordada, mas ainda com vida. Com a ajuda de vizinhos, a socorreu e a conduziu ao hospital, mas a criança não resistiu aos ferimentos.

Fonte: TJMG

Leia mais:
BH tem chuva após 69 dias de seca: 'alívio no ar'
Homem é suspeito de agredir e amarrar a esposa ao sofá da sala na capital