Milhares de pessoas acompanham na noite deste sábado (6), na Praça da Estação, as apresentações do Grupo Especial de Quadrilhas Juninas do Arraial de Belo Horizonte. Nesta noite, acontecerão as apresentações de sete das 13 equipes que integram a elite do cortejo junino na capital mineira, enquanto as outras seis quadrilhas serão realizadas no domingo (7). 

A festa teve início por volta das 18h com a quadrilha infantil Balão Dourado, que abriu a festa nesta que é a 41ª edição do evento, o segundo maior festejo junino do país, ficando atrás apenas da de Campina Grande, na Paraíba.

Já às 19h foi a vez do Arraial de São Mateus iniciar as danças do Grupo Especial. Eles recontaram a história do "Alto da Compadecida", de Ariano Suassuna, trazendo para a quadrilha personagens icônicos como Chicó e João Grilo. 

As apresentações do grupo especial vão até as 23h, com os grupos Arriba a Saia, Feijão Queimado, Milho Verde, Junina Forró de Minas, Fulô de Laranjeira e Pipoca Doce. 

Em barracas espalhadas pela praça, estão sendo vendidas comidas típicas e pratos que venceram a segunda edição do concurso prato junino, com receitas selecionadas em uma disputa envolvendo estudantes de gastronomia da cidade. Na Vila Gastronômica, estudantes das faculdades Promove, Estácio de Sá, UNA, Sena Minas e Pitágoras vão servir as especiarias, a preços populares.

A partir de meia-noite, o palco principal do Arraial de Belo Horizonte terá como atração principal a banda de forró Falamansa, que promete agitar o público com clássicos como "Xote da Alegria", "Rindo à toa" e "Xote dos Milagres". 

Perna quebrada não impediu a festa

A desempregada Lorraine Tomás, de 20 anos, está acompanhando o Arraial de Belô com o namorado e a mãe. Mesmo tendo quebrado a perna enquanto dançava quadrilha, ela não deixou de acompanhar a festa neste sábado. "Uma semana antes eu já tinha torcido o pé esquerdo enquanto dançava. Mas quadrilheiro é teimoso, então eu peguei e fui dançar mesmo assim com meu grupo. Acho que pus força demais e acabei quebrando a perna direita", disse, com bom humor, a dançarina. 

personagem arraial
Lorraine quebrou a perna dançando quadrilha

Ela conta que atua há 3 anos pelo grupo Pé na Brasa, que ainda não chegou ao Grupo Especial. "Mas eu vim para acompanhar, está tudo muito lindo. Mesmo sem poder dançar, estou adorando", concluiu a quadrilheira. 

Transporte

A expectativa, mais uma vez, é de grande público na região central da cidade. Por isso, a estação central do metrô vai funcionar em horário especial. Os embarques acontecem até as 2h da madrugada. Haverá venda de bilhetes no terminal, contudo, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), orienta que o usuário compre o bilhete antecipadamente, para na hora de ir embora, não precisar enfrentar filas.

As demais estações do metrô vão fechar normalmente às 23h e abrirão apenas para desembarque dos passageiros que voltarem do centro. O intervalo entre as viagens será de 25 minutos.

Por causa da interdição de parte da avenida dos Andradas, algumas linhas de ônibus tiveram o trajeto alterado. A BHtrans espalhou informativos pela região central e nos pontos, indicando as alterações.

Vencedores

No fim de semana passado, ocorreu o desfile do grupo de acesso, e a Nova Geração, conseguiu a pontuação máxima, garantindo R$ 12 mil em prêmios. A vice-campeã foi a Quadrilha Balancê Mineiro e, em seguida ficaram Quadrilha Chic Chic, Formigueiro Quente e Renascer Junino. Todas foram premiadas, porém somente as quatro primeiras colocadas sobem para o Grupo Especial em 2020.

Confira a galeria de fotos da festa: