Uma adolescente de 14 anos ficou ferida em um confronto entre integrantes da Ocupação Manoel Aleixo e a Polícia Militar, na manhã desta segunda-feira (1º), em Mário Campos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo publicação do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) no Facebook, policiais entraram no local onde estavam 150 famílias, para efetuar a reintegração de posse, mas sem mandado judicial e agindo "com muita truculência, numa ação totalmente ilegal, pois não aceitaram negociar e não apresentaram sequer a ordem de reintegração de posse", informou. Ainda segundo o MLB, as famílias vivem nesse terreno "há alguns dias" e o local "estava abandonado há anos".

A Polícia Militar informou que foi acionada por volta das 3h da madrugada por um vigia, que afirmou ter visto dois ônibus com integrantes do movimento parando no local para começar a ocupação. Os militares contaram que aguardaram até as 6h, quando o proprietário foi localizado e compareceu com um documento comprovando a posse do terreno. A partir daí, foi dado prazo até as 11h para que o grupo saísse.

O dono teria contado também à polícia que foi ao local no domingo (30) e que não havia ninguém acampado no momento.

Quanto à denuncia da forma truculência, a PM disse que, após vencer o prazo dado às famílias, a tropa de choque teve que agir, "empurrando" o grupo. E que, no momento em que os militares tentaram levar o líder do movimento para prestar esclarecimentos, os integrantes se armaram de pedras e pedaços de pau, lançando os objetos contra os policiais, que reagiram com spray de pimenta e balas de borracha.

Questionada sobre a adolescente ferida, a PM esclareceu que ela estava acompanhada pela responsável na frente do grupo, quando foi atingida por uma bala de borracha. A corporação informou ainda que os militares prestaram todo atendimento necessário, levando a jovem ao posto de saúde de Mário Campos e, em seguida, para o Hospital de Betim, na mesma região, onde foram informados que ela teve lesões externas e estava bem.

Leia mais:
Centrais divulgam documento unificado prometendo 'ocupar Brasília'