"Amar e servir ao outro regem uma vida rica e plena e, sem dúvida, contribuem para a cura de doença emocional”. Com esse lema, 82 idosas voluntárias do programa Cantinho do Céu na Terra, em Belo Horizonte, encontram-se três vezes por semana para se divertirem, baterem papo e serem solidárias.

A habilidade com agulhas e máquina de costura é suficiente para confeccionarem enxovais de bebê, doados a futuras mamães carentes e instituições. Por mês, são entregues 60 kits com 30 peças e artigos de higiene.

O grupo também assiste a 435 crianças, de seis creches, o ano inteiro. Elas recebem roupas e agasalhos na Páscoa, no inverno, no Dia das Crianças e no Natal. Além disso, com retalhos e sobras de material, as voluntárias produzem colchas para moradores de rua.

“O programa foi criado por minha mãe há mais de 30 anos, e eu a ajudava. O propósito era montar uma salinha de costura, em um espaço agradável, para que as amigas tristes e deprimidas encontrassem motivos para sorrir e, ao mesmo tempo, ajudar na confecção dos enxovais”, conta a aposentada Maria José Ocelli Costa, de 72 anos, responsável pela iniciativa.

Assistência

Hoje, o grupo ocupa quatro salas e tem 16 máquinas de costura comuns e três de overloque, para dar acabamento às peças. Sem ajuda financeira do governo ou vínculo com algum programa assistencial oficial, as mulheres contam com doações de tecidos, linhas, lãs e outros materiais.

A creche Tia Iolanda, no bairro São José (Noroeste), é uma das beneficiadas pelo trabalho do Cantinho do Céu na Terra. Todos os dias, cerca de 60 crianças, de três a cinco anos, são assistidas em tempo integral, enquanto os pais, que não têm condições de pagar uma instituição particular, trabalham.

“Vivemos de doações. Há pelo menos dez anos recebemos essa ajuda”, diz a coordenadora voluntária da creche, Ana Lúcia de Oliveira Martins Pinto.

Para fazer doações ao Cantinho do Céu na Terra,ligue para (31) 3462 9489.