Ler notícias das mais diversas áreas e atentar-se a temas em evidência tanto no cenário brasileiro quanto no internacional. Estar por dentro dos acontecimentos é essencial ao candidato que busca um bom desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Especialistas alertam que quem se informa está mais preparado para encarar as provas.

É o que diz Chico Soares, ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Segundo ele, o exame verifica se o estudante aprendeu o necessário para a vida e testa essas competências para mostrar as demandas da sociedade nas diferentes disciplinas. 

“Parte importante do que o candidato vai precisar se refere às informações de mundo. Na ciência, por exemplo, o aquecimento global. Em direitos humanos, os refugiados”.

Conforme os educadores, os temas cobrados devem estar relacionados ao primeiro semestre do ano. Apesar de a data do fim da elaboração das provas não ser divulgada, o teste é produzido durante os primeiros seis meses.

Na avaliação da professora de linguagens e pré-vestibular Poliana Wink, do Chromos, o noticiário pode ser importante para as questões de ciências humanas e de português, uma vez que são interpretativas. 

“Charges, tirinhas, textos publicitários e até poemas normalmente têm caráter político, econômico e cultural”, explica. As polêmicas envolvendo exposições de arte, registradas pelo país, também são pertinentes. “A temática tem possibilidade de ser abordada no teste”, acrescenta Poliana. 

O Enem será aplicado em 4 e 11 de novembro; em Minas, 583 mil pessoas irão fazer as provas em 2018

Em sala de aula

Assuntos relevantes que ganharam as páginas dos jornais estão no plano de aulas do coordenador do curso preparatório para o Enem das Faculdades Promove, José Eustáquio Simões.

Desde março, quando as atividades foram iniciadas, o docente ministra lições de acordo com o que está em evidência, como fake news e operação “Lava Jato”. “Conversamos sobre atualidades de forma geral, para que o candidato procure informações complementares e saiba se apropriar de determinado assunto”, explicou.

Datas importantes

Já o professor de geografia Eduardo Klein, do Mais Pré-vestibular, sugere atenção a episódios importantes que celebram aniversários, como os 30 anos da Constituição Federal. Porém, ele acredita que temas “mais sensíveis”, como abrangência e investimentos do Sistema Único de Saúde (SUS), que também completou três décadas, não devem ser cobrados. 

As eleições, apesar de inspirarem polêmicas, dificilmente serão lembradas, diz Klein. Por outro lado, agrotóxicos e mudanças nas matrizes energéticas podem ser abordados em mais de uma disciplina.

“O uso de químicos nas plantações pode cair em biologia. Na química, as reações e os compostos. Na geografia, quais produtores têm acesso a tecnologia, como a mecanização agrícola barateou o processo, e faz tempo que o exame não toca nesse assunto. Por isso, a aposta”, afirma Eduardo Klein.

Conhecimento de temas da atualidade pode render pontos preciosos no Enem