O Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais (CES-MG) divulgou nesta segunda-feira (4) uma nota pública se posicionando contra a flexibilização do distanciamento social ampliado proposta pelo Governo de Minas Gerais.  "A entidade defende as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) no combate ao Novo Coronavírus (Covid-19), que recomenda a manutenção do isolamento e medidas adotadas amplamente em várias cidades de todo o mundo. 

"Assim, o CES-MG apoia o Conselho Nacional de Saúde (CNS) que coloca-se contra a flexibilização de normas em algumas cidades, pretendidas pelo Ministério da Saúde, desde o dia 13 de abril, publicado no Boletim Epidemiológico nº7, de 06/04", diz a carta.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou, nesta segunda-feira (4), que o número de casos confirmados de coronavírus o estado chegou a 2.347. Noventa pessoas já morreram com a doença e outros 86 óbitos seguem em investigação. Os casos considerados suspeitos chegam a 89.056, conforme o último boletim. 

"O CES-MG reforça que este quadro é extremamente preocupante e pode colocar em risco tanto a população quanto os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) e profissionais da área. A nossa maior preocupação é com a preservação da vida da população brasileira e, por isso, seguimos reafirmando a necessidade de manutenção do isolamento social como método mais eficaz na prevenção à pandemia, conforme orientam a Organização Pan- Americana da Saúde (Opas) e a Organização Mundial da Saúde (OMS)”.

Ainda segundo a nota do conselho, o governo de Minas deu início em 23 de abril, ao programa Minas Consciente – Retomando a economia do jeito certo, que sugere a retomada gradual de comércio, serviços e outros setores, adotando protocolos sanitários, divididos por segmentos, que garantam a segurança da população.  "Entretanto, desde o início do mês, 150 municípios já assinalavam a reabertura de estabelecimentos comerciais, entre elas, Caratinga, Vespasiano, Ipatinga, Timóteo, Inhapim, Lagoa Santa, Varginha e mais recentemente, Santa Luzia. Em Betim, por exemplo, a prefeitura passou a flexibilizar o funcionamento do comércio a partir da quarta-feira (29/04). Mas, no mesmo dia, a gestão da cidade publicou um novo decreto suspendendo a abertura de bares por tempo indeterminado, motivado pela confirmação da primeira morte causada pela Covid-19 no município", conclui o comunicado.

A reportagem do Hoje em Dia procurou a assessoria do governo para comentar a posição do CES, mas ainda não obteve retorno.