O receio decorrente da pandemia do coronavírus tem motivado os condomínios a tomarem uma série de medidas para reduzir o risco de contágio. As decisões são justificáveis, mas não podem ser arbitrárias nem tomadas sem que os moradores sejam consultados.
 
Confira o que diz sobre o assunto o advogado Kênio Pereira, presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-MG:

Leia mais:

Passageiros só assentados: BHTrans fiscaliza viagens para garantir cumprimento de decreto

Com novas determinações, empresas de call center em BH poderão adotar teletrabalho