O coronel Giovanne Gomes da Silva deixará o comandante-geral da Polícia Militar para assumir a presidência da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), vinculada ao Ministério da Saúde. O órgão é responsável em promover políticas de saneamento básico à população. O novo chefe da PM ainda não foi anunciado. Segundo a corporação mineira, essa divulgação deve ocorrer "em breve". 

A nomeção de Giovanne Silva para integrar o governo de Jair Bolsonaro foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (29). Ele assume o cargo no lugar de Marcio Sidney Sousa Cavalcante, que foi exonerado. A portaria foi assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto.

No mês passado, o governo federal colocou o general Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde, em substituição a Nelson Teich. O oficial está como interino na pasta.

Em nota, a assessoria de imprensa da PM destacou que, em um ano em meio com o coronel no comando da corporação, o Estado alcançou o menor Índice de Crimes Violentos dos últimos oito anos. "De janeiro a abril deste ano, na comparação com os quatro primeiros meses de 2019, chegou a 27%".

O texto também destaca que o coronel teve importância na construção dos hospitais de Campanha de Belo Horizonte e de Betim, na região metropolitana.

Leia mais:
Pedido de moção de aplausos para Bolsonaro deve entrar em debate na Câmara Municipal de BH
Beneficiários do auxílio emergencial podem pagar compras via celular