O corpo de Aliny Mendes, de 39 anos, morta pelo ex-companheiro na Região Metropolitana da Inglaterra, no dia 9 deste mês, vai chegar ao Brasil na próxima semana. Os custos do traslado do corpo da brasileira estão sendo pagos pela própria família, que fez uma campanha virtual de financiamento coletivo para arrecadar o valor. 

A quantia necessária para os processos que envolvem o traslado do corpo da Inglaterra para o Brasil gira em torno de 3.500 libras, o equivalente a aproximadamente R$ 17 mil. Um irmão de Aliny, que está em Londres desde o último dia 12, conseguiu agilizar os trâmites para a liberação do corpo. A família, enfim, poderá se despedir dela, no enterro previsto para o fim da próxima semana, em BH. 

As informações são de Haroldo Mendes, outro irmão de Aliny, que está em Belo Horizonte. Ele conta que, embora tenha vivido a maior parte da vida na capital mineira, a irmã nasceu em São Paulo. Mas é considerada "mineira" de coração. 

Quanto aos filhos de Aliny, que têm 3, 6, 8 e 12 anos, há uma audiência prevista para a próxima semana em Londres, quando será definida a guarda das crianças. Até então, elas continuam em um lar "foster care", uma espécie de lar adotivo oferecido por pessoas que se disponibilizam a cuidar de crianças em suas casas e recebem uma remuneração do governo inglês para isso.  

Além da família materna, uma amiga de Aliny, madrinha de um de seus filhos, também pediu a guarda das crianças, mas segundo Haroldo, elas devem ficar com a família que mora em Belo Horizonte ou com sua irmã que mora nos Estados Unidos. De todo modo, as crianças não serão separadas e continuarão vivendo juntas. 

O crime

Aliny já tinha uma medida protetiva contra o ex-companheiro, que é natural de Belo Horizonte e também vivia na Inglaterra. O homem já havia a ameaçado de morte e, por isso, era impedido por lei de se aproximar de Aliny e das crianças. 

No dia 9 de fevereiro por volta de 15h, quando a mulher havia ido buscar os filhos na escola, em Surrey, na Inglaterra, ele chegou em um carro acompanhado por outro homem, desceu do veículo e esfaqueou a ex-companheira na porta da escola primária quando ela segurava a filha mais nova, de 3 anos, no colo. 

Depois do crime, ele fugiu, mas foi preso pouco tempo depois, acusado de homicídio. O homem, que é empresário e tem um negócio de manutenções residenciais em Surrey, permanece preso enquanto aguarda julgamento. O outro homem que estava no carro com ele era seu funcionário e chegou a ser detido, mas foi liberado. 

Leia mais:

Preso pela polícia britânica, belo-horizontino é suspeito de matar a ex-mulher na Inglaterra
Consulado brasileiro em Londres acompanha caso de mineira morta a facadas pelo ex-marido
Após 10 dias, corpo de mineira morta em Londres ainda não foi transportado para o Brasil
Irmão de mineira morta na Inglaterra chega a Londres para agilizar traslado
Mineira morta a facadas na Inglaterra tinha medida protetiva contra o ex-companheiro, afirma amiga