Funcionários dos Correios em todo o país iniciaram greve nesta quarta-feira (16). Reivindicando recomposições salariais, eles afirmam que o movimento é por tempo indeterminado.

De acordo com o presidente do sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios e Telégrafos e Similares do Estado de Minas Gerais (Sintect-MG), Robson Silva, todos os serviços estão paralisados e 85% do fluxo postal do país se encontra parado.

Ele, destaca que a categoria reivindica 12% do reajuste com base no valor da inflação, mais R$ 300 de aumento real incorporado ao salário, além das perdas salariais que correspondem a cerca de 23%.

"Reivindicamos a defesa do plano de saúde também, pois a empresa que alterar obrigando os trabalhadores a pagar mensalidade, sendo que atualmente pagamos um valor mais acessível pelo plano", informou Silva.

De acordo com o presidente do Sintect-MG, os Correios ainda não sinalizaram negociação. "Estamos esperando posição da empresa que a única coisa que fez foi propor 0% de reajuste, ou seja, nada", reclamou.

Em Belo Horizonte, a categoria planeja fazer um ato em frente à agência dos Correios na avenida Afonso Pena na próxima sexta-feira.

Correios não confirmam impacto nas entregas

Os Correios informaram, por meio de nota, que ainda nesta tarde irão realizar um comunicado com o balanço da greve e número de adesões ao movimento. A empresa não confirma impacto significativo nas entregas, uma vez que a paralisação está no primeiro dia.

"Ressaltamos que nos últimos anos, a paralisação foi localizada, concentrando-se na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e não afetaram a rede de atendimento (agências), tendo baixa adesão com mais de 90% dos trabalhadores em atividade normal. De qualquer forma, para o período a Empresa coloca em prática um plano de continuidade das atividades, para minimizar o impacto nas entregas e garantir a satisfação dos clientes", informou a nota.

Sobre o plano de saúde, a empresa afrimou que a proposta apresentada é a manutenção do plano como está atualmente, bem como a formação de uma comissão para discussão do tema.

Atualizada às 12h56