Pessoas com doenças crônicas ou condições de saúde que podem desenvolver infecções mais graves do coronavírus, caso sejam infectadas, são vacinadas neste sábado (7) em Belo Horizonte. A capital dá sequência à imunização dos moradores com comorbidades de 57, 58 e 59 anos, completos até 31 de maio. 

Vale lembrar que, se você se encaixa nesta faixa etária, mas não fez um cadastro prévio junto à PBH, nem adianta perder viagem. Somente a inscrição prévia garante a aplicação da dose. Novos registros de quem tem doenças crônicas serão reabertos após o recebimento de mais lotes dos imunizantes.

Os cadastrados devem ficar atentos também aos locais de aplicação. Apenas alguns postos de saúde da cidade estão oferecendo o serviço (clique aqui e confira a lista).

É necessário levar exames, receitas, relatório médico ou prescrição que indique a condição de saúde. Além de estarem legíveis, os documentos devem ter sido emitidos em até 12 meses.

CoronaVac

As pessoas com comorbidades estão sendo protegidas em BH com a vacina da Pfizer. Cidade recebeu 50 mil doses do imunizante produzido pela farmacêutica norte-americana, em parceria com a empresa alemã BioNTech.

Sobre a CoronaVac, usada para blindar idosos acima de 60 anos, a vacinação segue suspensa. A previsão é de retomada na semana que vem. Nessa sexta-feira, o governo do Estado informou que deve receber, neste fim de semana, 100 mil doses da CoronaVac.
 
Além de BH, 829 dos 853 municípios estão com o serviço suspenso. “A expectativa é receber mais 400 mil na semana que vem. Hoje, pouco mais de 360 mil doses são necessárias”, disse o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti.

Até o momento, Minas imunizou 3,6 milhões de pessoas com a primeira dose. Deste grupo, 1,8 milhão recebeu o reforço. Ao todo 7,5 milhões de imunizantes já foram enviados ao Estado pelo Ministério da Saúde.

Leia mais:

Segunda etapa da vacinação contra influenza começa na próxima terça-feira
130 mil professores estaduais devem ser vacinados contra Covid em Minas; primeiro, o ensino básico